"Fui informado depois do jogo de ontem (sábado) que foi rescindido o meu contrato com o Manchester City, com efeito imediato. Apesar da imprensa indicar o contrário, não recebi qualquer sinal da decisão do clube", referiu Mark Hughes em comunicado veiculado pela associação de treinadores da Liga inglesa.

O galês Mark Hughes observou ainda que "parece que o clube tinha a decisão tomada há muito tempo", justificando com "a rapidez com que nomearam o sucessor", o italiano Roberto Mancinni, que deixou o Inter de Milão em 2008, cedendo o lugar a José Mourinho.

O Manchester City ocupa a sexta posição na Liga inglesa, com menos 11 pontos do que o líder Chelsea.

Hughes não correspondeu às ambições do Manchester City, propriedade do “sheikh” Mansour do Abu Dhabi, que gastou este ano um total 220 milhões de euros em novas contratações.

Apesar de o Manchester City ter realizado bons jogos contra Manchester United, Chelsea e Arsenal, a derrota de 3-0 frente ao Tottenham, um concorrente directo na qualificação para a Liga dos Campeões, terminou com a paciência dos responsáveis do clube.

Mark Hughes é o segundo treinador a ser demitido na Liga inglesa depois da saída de Joe Hart do Portsmouth, substituído por Avram Grant, em Novembro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.