Está fechado o mercado de transferências em Inglaterra. Apesar de registar menos movimento do que esperado, as equipas da Premier League abriram os cordões à bolsa nos últimos dias para investir na próxima temporada, um ano após o recorde de mais de mil milhões de euros gastos em contratações.

Recorde o último dia do mercado inglês

A saída do belga Eden Hazard e o retorno do português Cristiano Ronaldo ao campeonato eram esperados, mas a janela não ficou marcada com transferências recorde como a chegada de Paul Pogba ao Manchester United por 105 milhões de euros em 2016, sendo que, a compra mais elevada deste defeso foi de 80 milhões de euros.

A novidade nesta temporada, num campeonato que mobiliza 2,3 mil milhões de euros em direitos de televisão por temporada, foi o fim da janela dia 9 de agosto, antes do início da Premier League. No resto da Europa, as equipas têm até ao final do mês para se reforçarem.

Assim, os clubes precisaram de negociar mais rapidamente que o costume. 19 das 20 equipas da Premier League realizaram contratações, com a exceção do Tottenham.

Manchester City

Até agora, o campeão inglês apenas contratou o extremo Riyad Mahrez ao Leicester e o jovem central holandês Sandler ao PEC Zwolle mas tudo indica que ainda poderá chegar um craque até ao fecho do mercado. No último dia de mercado, a equipa de Pep Guardiola contratou ainda o avançado Daniel Arzani ao Melbourne City, mas com o objetivo de ceder o jogador de 19 anos para que este evolua.

Manchester United

Muita tinta tem corrido na imprensa britânica sobre a insatisfação de José Mourinho com o plantel para a próxima época. O técnico português não esconde o desagrado por não receber reforços.

"O meu CEO sabe o que eu pretendo há muito tempo. Ele sabe o que eu quero e eu sei que ele tenta fazer o melhor por mim. Ainda tenho alguns dias para esperar e ver o que vai acontecer. Se não melhorarmos a equipa, vai ser uma época complicada para nós", disse Mourinho, acrescentando que "os outros clubes que competem connosco estão fortes e têm equipas fantásticas, como o Chelsea, Tottenham ou Manchester City, ou então estão a investir bastante como o Liverpool. Eles estão a comprar tudo e todos".

José Mourinho afirmou ainda "entreguei à direção uma lista com cinco nomes e se tiver um já será bom". Numa corrida contra o relógio, o United tentou agarrar Jérôme Boateng ao Bayern de Munique, central que custaria cerca de 50 milhões de euros, mas tal não chegou a acontecer. Outro dos jogadores na lista de ‘desejos’ do técnico português era Yerri Mina, mas o negócio caiu por terra à última da hora para desespero de Mourinho.

Lee Grant do Stoke, Diogo Dalot do FC Porto e Fred do Shakhtar Donetsk foram os únicos reforços de José Mourinho.

Os restantes candidatos ao título

O Liverpool de Jürgen Klopp investiu alto nos brasileiros Alisson (Roma) e Fabinho (Monaco) e também contratou Naby Keita (RB Leipzig) e Xherdan Shaqiri (Stoke), todos eles fechados antes do dia 19 de julho.

Na temporada passada, os 'Reds' alcançaram a final da Liga dos Campeões mas terminaram em quarto na Premier League, principalmente por conta da falta de opções no banco. O problema espera ser resolvido desta vez, com um gasto de quase 200 milhões de euros.

Enquanto isso, o Arsenal e o novo técnico Unai Emery viram chegar Bernd Leno (Bayer Leverkusen), Lucas Torreira (Sampdoria), Matteo Guendouzi (Lorient), Sokratis (Borussia Dortmund) e Stephan Lichsteiner (Juventus). Além disso, o novo técnico Maurizio Sarri só trouxe consigo o brasileiro naturalizado italiano Jorginho, também do Nápoles.

Já o Chelsea, Jorginho do Nápoles, Robert Green do Huddersfield e Kepa do Athletic Bilbao foram os únicos reforços, sendo que o guarda-redes foi o mais caro de sempre - 80 milhões de euros.

Burnley

Parado no mercado até uma semana antes do fecho da janela, o sétimo classificado da temporada anterior oficializou Ben Gibson, central do Middlesbrough - o jogador, de 25 anos custou cerca de 16,8 milhões de euros e foi o jogador mais caro de sempre do clube, Matej Vydra do Derby e Joe Hart do Manchester City.

Everton

Sob o comando de Marco Silva, o clube inglês investiu mais de 60 milhões de euros em Lucas Digne e no brasileiro Richarlison. O terceiro reforço do Everton foi João Virgínia, o guarda-redes português de 18 anos, que representava o Arsenal. Nos últimos quinze minutos de mercado, o clube inglês confirmou Bernard, avançado de 25 anos, que estava sem clube depois de terminar contrato com o Shakhtar Donetsk, e Yerri Mina do Barcelona. Já André Gomes foi emprestado pelo Barcelona.

Leicester

Já o Leicester viu chegar Jonny Evans do West Brom (4 milhões), Rachid Ghezzal do Mónaco (14 milhões), Danny Ward do Liverpool (14 milhões), Ricardo Pereira do FC Porto (22 milhões) e James Maddison do Norwich (25 milhões). No último dia da janela de transferências, o Leicester oficializou ainda Filip Benkovic do Dinamo Zagreb, e Caglar Soyuncu, que deixa o Friburgo e ruma aos 'foxes' a troco de 20 milhões de euros.

Newcastle

Na lista de reforços do Newcastle estão o guarda-redes eslovaco Martin Dubrvaka, de 29 anos (que na última época tinha sido emprestado pelo Spartak de Praga), o médio sul-coreano Ki Sung-yueng, de 29 anos, o central suíço Fabian Schar, de 26 anos, Mikel Merino do Dortmund, e o extremo brasileiro Robert Kenedy, cedido por empréstimo do Chelsea. Também Yoshinuro Muto vai integrar a equipa do Newcastle na próxima época. Muto representava os alemães do Mainz e é o primeiro japonês no emblema inglês.

Crystal Palace e Bournemouth

O Crystal Palace oficializou as contratações de Max Meyer, Vicente Guaita e Cheikhou Kouyate, médio que tinha sido associado ao FC Porto. Também o Bournemouth conta com três reforços: David Brooks, Diego Rico e Jefferson Lerma - o jogador mais caro da história do clube.

West Ham

Manuel Pellegrini já tem a equipa preparada para a próxima temporada, o técnico do emblema inglês recebeu Jack Wilshere do Arsenal, Ryan Fredericks do Fulham, Fabián Balbuena do Corinthians, Lukasz Fabianski do Swansea, Andriy Yarmolenko do Dortmund, Issa Diop do Toulouse, Xande Silva do Vitória de Guimarães e Felipe Anderson da Lazio.

Os ingleses estavam ainda interessados no jogador do FC Porto, Moussa Marega, mas as discrepâncias em termos de valores fizeram o negócio cair por terra. Ao invés do jogador maliano, os 'hammers' contrataram Lucas Pérez do Arsenal.

Nos últimos minutos do mercado, o West Ham oficializou ainda o colombiano Carlos Sanchez da Fiorentina. O médio de 32 anos assinou um contrato válido por duas épocas, os valores do negócio não foram revelados mas a imprensa inglesa avança que rondou os 4,5 milhões de euros.

Ao todo, os 'hammers' gastaram cerca de 104 milhões de euros em reforços neste mercado de transferências.

Watford

Ben Foster do West Brom, Ben Wilmot do Stevenage FC, Marc Navarro do Espanyol, Ken Sema do Ostersund, Adam Masina do Bolonha e Gerard Deulofeu do Barcelona são as novas caras do plantel de Javi Garcia.

Brighton Albion

Já o Brighton apostou bastante em reforços e na próxima temporada vai contar com Billy Arce do Independiente, Leon Balogun do Mainz, Jason Steele do Sunderland, Percy Tau do Sundowns, David Button do Fulham, Florin Andone do Deportivo, Bernado do Leipzig, Alireza Jahanbakshs do Alkmaar, Yves Bissouma do Lille – médio maliano de 21 anos que chegou a ser apontado ao FC Porto, Dan Burn do Wigan.

Huddersfield Town

Ben Hamer do Leicester, Erik Durm do Dortmund, Jininho Bacuna do Groningen, Jonas Lossl do Mainz, Florent Hadergjonaj do Ingolstadt, Ramadan Subhi do Stoke, Adama Diakhaby e Terence Kongolo do Mónaco são as novas caras do Huddersfield para a próxima temporada.

Southampton

Já o Southampton contou com quatro novos elementos no plantel: Stuart Armstrong do Celtic, Angus Gunn do Manchester City, Mohamed Elyounoussi do Basileia e Jannik Vestergaard do M’gladbach.

Os promovidos

O Fulham regressou esta temporada ao convívio com os 'grandes' da Premier League e não parou de gastar dinheiro em contratações, sendo que os valores ascenderam a cerca de 70 milhões de euros.

Jean-Michael Seri (€30 milhões), Aleksandr Mitrovic (25 milhões), Fabri (€6 milhões), Le Marchand (€4 milhões), Alfie Mawson (17 milhões) e Schürrle (empréstimo, Dortmund) foram os jogadores contratados pelo Fulham.

Já o Wolverhampton gastou 50 milhões de euros em reforços. Os wolves reforçaram-se com quarto portugueses: Rúben Vinagre e João Moutinho do Mónaco, Rui Patrício do Sporting e Diogo Jota do Atlético de Madrid. Aos jogadores lusos juntam-se Léo Bonatini do Al-Hilal, Benik Afobe do Bournemouth, Willy Boly do FC Porto, Adama Traoré do Middlesbrough e ainda Raúl Jiménez do Benfica por empréstimo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.