Mourinho não se tem mostrado grande adepto do VAR desde que este foi introduzido no futebol. O treinador do Tottenham afirmou, na antevisão do encontro desta noite com o Buernley, para a Premier League, que não são aceitáveis os erros que os videoárbitros têm cometido, dando alguns exemplos, entre eles a entrada de Gundogan, do Manchester City, sobre Marchesín, guarda-redes do FC Porto, na Liga dos Campeões na passada semana, ou a do guarda-redes Pickford, do Everton, sobre Van Dijk, do Liverpool, na última ronda da Liga inglesa.

"Acho que a atenção que os incidentes estão a ter é baseada no facto de existir o VAR. Sem o VAR, as situações no relvado aconteceriam, porque o ser humano, os árbitros, cometem erros. Já me conhecem há muitos anos e sempre foi difícil aceitar o erro humano, mas aprendi e atualmente aceito que os árbitros erram. Aquilo que não aceito são os erros do VAR", começou por exeplificar o técnico português, antes de avançar então com alguns exmeplos.

"Aquilo que aconteceu no dérbi de Merseyside [a tal entrada de Pickford sobre Van Dijk que lesionou gravemente o holandês], com as coisas a acontecerem a cem à hora, diria 'foi uma má entrada, aconteceu e já passou'. O problema e que estava lá o VAR. E na Liga dos Campeões o guarda-redes do FC Porto poderia ter agora uma perna partida. Ninguém percebe como uma possível perna partida para o guarda-redes do FC Porto se transforma numa grande penalidade contra o FC Porto. O problema é o VAR e não o árbitro", sublinhou Mourinho.

O Tottenham entra em campo esta noite, a partir das 20h00, para visitar o Burnley, em partida da 6.ª jornada da Premier League inglesa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.