Com a família de Emiliano Sala concentrada nas buscas, ainda com esperanças de encontrar o jogador e o piloto com vida, avizinha-se uma batalha judicial entre os clubes que detinham os direitos económicos do avançado.

A imprensa britânica escreve este domingo que o Cardiff, que contratou Sala ao Nantes, cancelou o pagamento da transferência e recusa-se a avançar com os 17 milhões de euros acordados entre as partes. O emblema do País de Gales só vai pagar o que foi acordado depois de esclarecido sobre as circunstâncias em volta do desaparecimento do avião que transportava o jogador. O emblema do País de Gales pondera mesmo recorrer aos tribunais, se entender que houve negligência no transporte do jogador.

Escreve o 'The Telegraph' que o presidente do clube, Mehmet Dalman, fez questão de sublinhar que o Cardiff se tinha colocado à disposição de Emiliano Sala para tratar da viagem para o País de Gales, mas que o futebolista optou por utilizar "os seus próprios meios".

O Cardiff já devia ter liquidado uma parcela da transferência - seis milhões de euros -, mas acabou por cancelar a transação. O Nantes, na voz de Waldemar Kita, presidente do clube, já esclareceu que poderá ter de recorrer aos tribunais para reclamar os seus direitos.

"Não quero falar de dinheiro, numa altura em que estamos a viver esta situação dramática. Agora não vamos reclamar nada mas logo veremos o que fazer", disse o dirigente à imprensa francesa.

Outro emblema francês interessado na questão é o Bordéus. Os girondinos reclamam 50 por cento do valor da transferência, uma vez que detinham metade do passe do avançado de 28 anos, de acordo com o jornal 'Presse Océan'. O Bordéus queria receber já a metade dos seis milhões, referentes a primeira tranche da transferência de Sala do Nantes para o Cardiff. Ao todo, o clube terá direito a 8,5 milhões de euros.

Na segunda-feira, Emiliano Sala e um piloto viajavam de Nantes, na França, para Cardiff, no País de Gales, e ao atravessar o Canal da Mancha as comunicações deixaram de ocorrer e a aeronave desapareceu.

O jogador comunicou-se com amigos e expressou o seu temor em viajar no avião, pois tinha experimentado muita turbulência num outro voo que fizera entre Nantes e Cardiff.

O jogador, de 28 anos, tinha sido recrutado ao Nantes pelo Cardiff por cerca de 17 milhões de euros e ele mesmo se encarregou de marcar o voo, recusando a oferta de transporte do clube galês.
O monomotor Piper PA-46-310P Malibu desapareceu dos radares segunda-feira pelas 20:00 cerca de 20 kms a norte de Guernsey. Antes, a ilha vizinha de Jersey tinha informado que o avião voava de início a 1500 pés, antes de descer para os 700 pés e depois desaparecer no radar.

O ponta de lança, que representa o Nantes desde 2015 e que esta época marcou 13 golos em 21 jogos pela equipa francesa, tinha acabado de assinar pelos galeses do Cardiff, equipa da Primeira Liga inglesa.

Na sua carreira, Emiliano Sala passou pelos clubes portugueses do FC Crato, dos campeonatos distritais, antes de seguir para França, onde representou o Bordéus, o Orléans, Chamois Niortais, Caen e Nantes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.