A jogar em casa, os red devils apresentaram um onze secundário, mas nem por isso menos competitivo.

Sem Rooney ou Ferdinand, entre outros, o Manchester cedo mostrou domínio do jogo e aos 17’ Darron Gibson colocou os da casa em vantagem. O passe foi do ex-portista Anderson e o irlandês, à entrada da grande área disparou forte e cruzado sem hipóteses de defesa.

100% de eficácia para os campeões de Inglaterra, que no primeiro remate à baliza se colocaram em vantagem.

O jogo podia ter servido para despertar, que se apresentou em Old Trafford na máxima força, mas foram os jovens do United que continuaram a dar nas vistas.

Sempre rápidos sobre a bola, os jogadores do United chegavam à área dos londrinos com extrema facilidade e num desses lances Gibson bisou na partida e apontou um golo de bandeja.

Jogada sempre ao primeiro toque, com o remate a ficar a cargo do médio de 22 anos, que, mais uma vez, num pontapé de fora de área, colocou a bola no ângulo superior da baliza dos spurs, levantando as bancadas do “Teatro dos sonhos”.

Pouco depois, o árbitro apitou para o intervalo e o segundo tempo não trouxe grandes mudanças no jogo. O United controlou a seu belo prazer e podia até ter aumentado a vantagem.

O Manchester passa assim às meias-finais desta competição, que já conquistou por três vezes, e manteve a sua baliza inviolável na competição, com quatro jogos já disputados na competição.

Nota ainda para a ausência de Nani, que nem sequer esteve no banco de suplentes, numa semana em que Ferguson afirmou que contava como extremo português e que este não seria vendido.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.