Sem o IV Nível de treinador, Rúben Amorim acabou por ver o nome do seu adjunto, Micael Sequeira, aparecer em segundo lugar na eleição para melhor treinador da I Liga no mês de janeiro, atrás de Bruno Lage. Na antevisão à partida com o Benfica, na Luz, o técnico do SC Braga foi questionado sobre esta votação.

"Foi uma escolha dos treinadores, acharam que o Micael devia ficar em segundo. É trabalhar para ficar em primeiro. Só fiquei chateado por uma coisa, votámos no Lage, se não tivéssemos votado nele se calhar tínhamos mais hipótese [risos]. Fora de brincadeira, o que interessa mesmo é o jogo", afirmou Rúben Amorim, em conferência de imprensa.

O técnico dos minhotos aproveitou para "mandar um abraço de força" a Gabriel, médio do Benfica que sofreu uma lesão complicada.

"Quero aproveitar para lhe mandar um abraço de força em nome do SC Braga, ele está a passar por um fase difícil, é uma lesão complicada. É um jogador muito importante, tem características diferentes dos outros médios. Tivemos de alterar algumas coisas na nossa preparação. Mas o Benfica, se não tem um, joga com outro e mantém-se a qualidade. O Benfica será sempre forte com qualquer jogador que esteja em campo", vincou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.