Pinto da Costa, presidente do FC Porto, deu uma entrevista ao Porto Canal e abordou alguns aspetos referentes à estadia de Julen Lopetegui no Dragão, tais como o plantel formado pelo técnico basco para a temporada 2015/16.

"Perdeu muitos jogadores e tinha que perder pelas opções que fez. O Casemiro e o Óliver estava previsto que não continuariam a ser jogadores do FC Porto. Teve jogadores como o Danilo, o André André, o Casillas, o Imbula, que veio por vontade dele e dizia que era um Ferrari. E eu perguntei se, afinal, era um Ferrari para estar na garagem", referiu o lídero do clube 'azul-e-branco'.

O presidente dos 'dragões' comentou ainda a chegada do sul-coreano Suk, um pedido expresso de Julen Lopetegui.

"Suk foi um desejo de Lopetegui e eu ainda estava de férias e recebia telefonemas de manhã e à tarde do Lopetegui a perguntar se estava contratado. Mas o presidente do Vitória [de Setúbal] estava de férias no Brasil e isso impedia-me de falar com ele. Depois acabámos por falar e obtive a palavra do Fernando Oliveira dentro das condições que ele propunha e que nós aceitámos. Entretanto, o Lopetegui saiu e fiquei com Suk nos braços. Podia ter dito ao Fernando Oliveira que já não o queria, mas tive o cuidado de dizer ao José Peseiro que tínhamos a possibilidade de contratar o Suk, mas que se não o quisesse tínhamos a possibilidade de não o contratar porque, como disse o presidente do Vitória de Setúbal, até tinham outras possibilidades para o vender", explicou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.