O Benfica chegou, pela segunda vez na temporada, às cinco vitórias consecutivas na I Liga, depois de ter logrado tal feito nas cinco primeiras jornadas da prova. Desde então, não mais as 'águias' tinham voltado a vencer cinco jogos seguidos no campeonato. Até ao triunfo da noite de segunda-feira sobre o Marítimo, por 1-0.

No conjunto de todas as competições, foi a sexta vitória seguida. Novo triunfo na próxima jornada, na visita ao Paços de Ferreira, permitirá não só superar o melhor registo da época na I Liga, mas também igualar o melhor registo de 2020/21 (sete vitórias) na soma de todas as provas. O Benfica atravessa, depois de tempos mais conturbados, um dos seus melhores momentos da temporada. E é claramente uma equipa mais segura.

Porém, ao contrário do que vinha acontecendo nos jogos mais recentes antes da paragem para as seleções, à vitória sobre o atual penúltimo classificado da I Liga, faltou algum brilho exibicional. O conjunto de Jorge Jesus mostrou menos intensidade e menos velocidade no ataque do que vinha mostrando, mas chegou para somar mais três pontos, com o único golo da partida a surgir de grande penalidade. A primeira de que o Benfica beneficiou...ao fim de 25 jornadas.

O jogo: Um golo foi suficiente para dar mais uma vitória ao Benfica

De volta ao 4x4x2, com Otamendi e Lucas Veríssimo como centrais e Everton de regresso à titularidade no meio campo, o Benfica controlou a primeira parte, mas foram escassas as ocasiões de golo que criou. E a primeira resultou mesmo no único golo da partida.

Numa jogada de insistência, a bola chegou aos pés de Rafa que, já dentro da grande área do Marítimo, acabou derrubado por Hermes. À 25.ª jornada o Benfica beneficiava, enfim, de uma grande penalidade na I Liga 2020/21. Na ausência de Pizzi, castigado, foi Luca Waldschmidt a bater, com êxito o penálti. Estava feito o 1-0 aos 21 minutos de jogo. Mas apenas por mais uma vez nos primeiros 45 minutos os 'encarnados' estiveram perto de voltar a marcar. Rafa, isolado, permitiu a defesa de Amir, guarda-redes dos visitantes.

A segunda parte começou com outro ritmo. Nos primeiros 20 minutos do segundo tempo o Benfica viveu o seu melhor período no jogo, impôs outra velocidade e viu Otamendi desperdiçar uma ocasião flagrante de forma incrível, embora parecesse estar em posição irregular. Só que, a perder pela margem mínima, o Marítimo, que a fechar a primeira parte já tinha deixado um aviso, continuava a acreditar. E voltou a avisar. Valeu ao Benfica uma grande defesa de Helton Leite, a segurar o 1-0. Na resposta, foi Seferovic a falhar, isolado, com Amir a voltar a brilhar.

O ritmo voltou a descer e mais ocasiões de golo só surgiram já no período de descontos. Uma para cada lado, mas sem que ninguém as aproveitasse. O Benfica ganhou mesmo, não deixou fugir o FC Porto nem permitiu a aproximação do Braga e ainda reduziu a distância para o líder, o Sporting, que viria a empatar em Moreira de Cónegos horas mais tarde.

O momento: Penálti e golo

Minuto 19. O Benfica controlava o jogo, mas ainda não tinha criado real perigo. Até que, depois de um cruzamento para a grande área do Marítimo, Amir saiu a soco, não conseguiu afastar a bola e esta acabou nos pés de Rafa, que foi derrubado por Hermes. O Benfica beneficiava do seu primeiro penálti da época na I Liga, que Waldschmidt não perdoou.

Os melhores: Rafa a acelerar, Amir a brilhar

Num jogo em que o Benfica não conseguiu incutir grande velocidade no seu jogo, foram as arrancadas e as acelerações de Rafa a criar maiores dificuldades à defesa do Marítimo. O internacional português sofreu a grande penalidade e esteve perto de, ele mesmo, marcar. Mas Amir não deixou.

O guarda-redes do Marítimo efetuou três defesas de enorme qualidade, sempre com jogadores do Benfica isolados na sua cara, e permitiu que o conjunto madeirense acreditasse até ao fim que podia sair da Luz com pelo menos um ponto.

Os piores: Hermes com regresso infeliz, Seferovic ficou 'em branco'

Marcelo Hermes chegou a Portugal em 2016/17 para representar o Benfica. Só disputou um jogo oficial pela equipa principal das 'águias' antes de voltar ao Brasil. De novo na I Liga, agora com a camisola do Marítimo, o lateral esquerdo não teve um regresso feliz ao Estádio da Luz. Cometeu a grande penalidade e teve muitas dificuldades em lidar com Rafa e Diogo Gonçalves.

Do lado do Benfica, Seferovic vinha de quatro jogos seguidos a marcar para o campeonato, mas viu essa série chegar ao fim. Desacertado na finalização, permitiu a defesa a Amir num lance em que estava totalmente isolado e em que até podia ter tocado para o lado para Rafa marcar.

Estatísticas e curiosidades

  • O Benfica não sofre golos há 590 minutos para a I Liga e há 680 no conjunto de todas as competições.
  • Jorge Jesus alcançou a sua 250.ª vitória como treinador principal das 'águias'.
  • O Marítimo somou o sétimo jogo consecutivo sem marcar em visitas ao Estádio da Luz, onde perde há 14 deslocações consecutivas (desde 2011).

As reações

O resumo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.