O FC Porto regressou à liderança isolada do campeonato depois de uma exibição ‘quanto baste’ frente ao Marítimo, vencendo os madeirenses por 1-0, golo de Corona aos seis minutos. Os dragões não desperdiçaram o empate do Benfica em Portimão e alcançaram os 63 pontos na Primeira Liga, mais dois que o rival.

O jogo: Tecatito foi suficiente

Sérgio Conceição promoveu o regresso de Zé Luís à titularidade pela equipa ‘azul-e-branca’ em detrimento de Soares, que ‘caiu’ para o banco depois de ter sido titular no jogo da retoma frente ao Famalicão na semana passada. Os dragões voltaram a contar com Alex Telles que cumpriu castigo na última jornada e não contou com Otávio, por castigo.

O FC Porto entrava em campo minutos depois do apito final em Portimão ter aberto a via para a liderança isolada do campeonato, depois do Benfica ter somado apenas um ponto frente ao Portimonense.

A equipa ‘azul-e-branca’ entrou no jogo à procura da baliza defendida por Charles, tentando abrir o ativo depressa. E foi ai que surgiu Tecatito Corona.

Aos seis minutos, e após lançamento de linha lateral, a bola acaba no mexicano, que com um remate à meia-volta surpreende o guardião maritimista e fez abanar as redes pela primeira (e única) vez na partida, ainda antes dos 10 minutos de jogo.

O Marítimo tentou responder e teve em Daizen o mais inconformado com o resultado. O avançado japonês causou perigo em duas ocasiões, a primeira logo no recomeço do jogo após o golo, ultrapassando Pepe e fazendo um chapéu a Marchesín, que embateu na barra.

Aos 17’, o avançado nipónico voltou a estar perto do golo, quando após cruzamento da direita tenta desviar a bola para o fundo das redes dos ‘dragões’, sem sucesso, mas perto o suficiente para causar calafrios.

A equipa comandada por José Gomes ia crescendo a espaços na partida e Tagueu teve em Marchesín a única barreira entre si e o golo aos 23 minutos, quando o guardião argentino respondeu da melhor forma ao cabeceamento do camaronês, realizando uma grande defesa. No minuto anterior também Sérgio Oliveira obrigou Charles a uma defesa a dois tempos com um potente cabeceamento.

A equipa madeirense, que ia tentando o empate, sofreu um revés aos 32 minutos, quando Rúben Ferreira se lesionou, obrigando José Gomes a gastar a primeira substituição na partida, fazendo entrar Xadas para o lugar do defesa.

Ainda antes do intervalo, Sérgio Oliveira voltou a testar Charles com um tiro à entrada da área, obrigando o guardião do Marítimo a não correr riscos e a defender a bola para canto, que acabou por não causar perigo, com Danilo a cabecear por cima.

O segundo tempo trouxe mudanças na equipa insular, com a saída do amarelado Diego Moreno para a entrada de Vukovic. Apesar da mudança, o jogo na 2.ª parte foi bem mais morno, com as duas equipas a jogarem num ritmo lento.

Ainda assim, o FC Porto esteve perto de chegar ao 2-0 por Luis Díaz que aproveitou uma falta de Bebeto para um remate colocado, mas com pouca potência aos 50 minutos.

O jogo estava calmo, com os jogadores ainda a ambientarem-se ao regresso à competição depois de dois meses parados devido à pandemia de COVID-19 e a um novo ambiente, sem adeptos nas bancadas.

Com a acalmia na partida, Sérgio Conceição promoveu a primeira mexida aos 72 minutos, com a saída de Marega para dar lugar ao estreante Fábio Vieira, o jovem de 20 anos estreou-se pela equipa principal do FC Porto.

Já com Soares e Uribe (saíram Luis Díaz e Zé Luís) em campo e com o jogo no mesmo ritmo, o técnico do FC Porto preparava-se para fazer estrear o jovem João Mário, que tem vindo a fazer parte dos treinos da equipa principal de há um tempo a esta parte. Mas o jovem acabou por ver a estreia adiada, quando o segundo amarelo de Alex Telles e respetiva expulsão aos 85 minutos – o defesa volta a ficar de fora na partida da próxima jornada, frente ao CD Aves – obrigou Conceição a alterar os planos, fazendo entrar Diogo Leite para o lugar de Sérgio Oliveira.

Mesmo com 10, os dragões contaram com a melhor oportunidade de golo da segunda parte já nos minutos finais. Soares aos 90+1’ ,após marcação de canto, cabeceia para o sitio onde Charles não estava… mas estava Nanú que limpou a bola em cima da linha de golo.

Apito final de Tiago Martins e o FC Porto regressou às vitórias depois de dois jogos consecutivos na Primeira Liga sem vencer – empate com o Rio Ave, antes da suspensão e derrota com o Famalicão. Mais importante para os objetivos da equipa de Sérgio Conceição, a vitória pela margem mínima permitiu ao FC Porto regressar à liderança isolada da Primeira Liga, agora com mais dois pontos que o rival Benfica.

Já o Marítimo somou o quinto jogo consecutivo sem vencer e pode cair para a antepenúltima posição, caso o Paços de Ferreira pontue na visita a Alvalade. Os madeirenses ficam cinco pontos acima da linha de água, depois do empate do Portimonense ter tirado um ponto à vantagem maritimista.

O melhor: Tecatito Corona

No sitio certo, a decisão certa. Tecatito colocou o FC Porto na liderança do marcador e do campeonato com um remate à meia volta e um grande golo logo aos seis minutos de jogo.

O momento: Min. 6 - Golo de Corona

O golo de mexicano foi decisivo na partida, tendo bastado para a equipa portista ter regressado às vitórias e à liderança do campeonato.

Reações

Sérgio Conceição: "À medida que se vai aproximando o final, as coisas vão ficando mais difíceis"

José Gomes: "Poderíamos ter levado pontos do Dragão"

Corona: "Resultado do Benfica? Só soube agora no final"

Charles: "Empate seria o mais justo"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.