O Benfica recebe, esta segunda-feira, o Famalicão, em jogo a contar para a 18.ª jornada da I Liga. O duelo com os minhotos vem encerrar uma primeira volta para esquecer dos 'encarnados' e poderá ser encarado como um teste à capacidade de resposta da equipa, após o empate com o Vitória de Guimarães.

Já la vão quatro jogos consecutivos sem vencer para o campeonato e os encarnados estão a 11 pontos do líder Sporting e a seis do segundo classificado (FC Porto).

Numa recente entrevista à BTV, Rui Costa sublinhou que é proibido atirar a toalha ao chão, por isso será interessante perceber como a equipa irá entrar em campo esta sexta-feira, sabendo que não poderá perder mais pontos até ao final do campeonato.

Nos últimos seis jogos, em todas as competições, o Benfica registou duas derrotas (SC Braga e Sporting), três empates (FC Porto, Nacional e Vitória de Guimarães) e apenas um triunfo (3-0 na receção ao Belenenses SAD, para a Taça). A vitória mais recente para o campeonato aconteceu quase um mês (8 de janeiro), na receção ao Tondela, em que venceu por 2-0 com golos de Seferovic e Waldschmidt.

Já o Famalicão soma três derrotas seguidas na competição, a última das quais na estreia de Silas, na receção ao Moreirense, por 2-0.

Histórico de confrontos entre as equipas

Este é o 20.º jogo entre Benfica e Famalicão, com forte vantagem para os encarnados, que somam 15 vitórias. Os famalicenses venceram apenas uma vez.

Nove jogos, nove vitórias: É este o registo do Benfica em casa frente ao Famalicão.

Para a I Liga foram 15 os jogos entre as duas equipas. O Benfica soma 12 triunfos, enquanto o Famalicão ganhou por uma vez. A única vitória do emblema de Famalicão sobre o encarnados no campeonato foi em 1992-93, quando venceu em casa por 1-0.

Na primeira volta, o Benfica goleou o Famalicão por 1-5. Com 30 golos sofridos, o Famalicão tem a pior defesa desta edição da I Liga.

O que dizem os treinadores

Jorge Silas

O treinador do Famalicão reconheceu que o Benfica enfrenta uma crise de resultados, mas não de volume ofensivo, prometendo jogar para vencer no recinto ‘encarnado’, na segunda-feira, para a I Liga portuguesa de futebol.

"Olhando ao último jogo do Benfica [empate 0-0 na receção ao Vitória de Guimarães], rematou 23 vezes à baliza. São muitos remates. Não é um mau momento a nível de jogo, mas de resultados. Não é uma equipa que está em crise de jogo, 23 remates é muito volume ofensivo", recordou Jorge Silas.

Questionado sobre se espera encontrar um Benfica nervoso, ansioso ou cheio de garra, Silas não teve dificuldade em responder.

"Eu conheço bem as equipas do ‘mister’ Jesus. Fui treinado por ele dois anos, já o defrontei duas vezes como treinador, sei que entram confiantes. Não acho que vá ser diferente", afirmou.

Jorge Jesus continua ausente por estar infetado com covid-19, por isso não fez a antevisão do jogo

Jorge Jesus regressou à Luz, seis anos depois, e, ao seu estilo, prometeu um Benfica a jogar o “triplo” e a “arrasar”, mas, cumprida a primeira volta da I Liga de futebol, a equipa está ‘perdida', sem identidade.

Na 10.ª época num ‘grande’, o técnico de 66 anos acabou a primeira volta com 11 pontos de atraso para o líder Sporting, superando o seu pior registo, que datava de 2016/17, época em que, ao comando dos ‘leões’, estava a oito dos ‘encarnados’.

A distância para o primeiro classificado, e ainda os dois clubes que seguem pelo meio, sobretudo o campeão FC Porto (cinco à frente), deixam o técnico fora da corrida ao título, que só é uma possibilidade em termos matemáticos.

Em termos absolutos, os 34 pontos, em 17 jogos, tantos quantos os somados pelo Paços de Ferreira, são a sua pior marca nos ‘grandes’, igualando 2016/17, época em que também somou 10 vitórias, quatro empates e três derrotas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.