O Gil Vicente encara a edição 2022/23 da I Liga portuguesa de futebol com a herança de equipa sensação da época passada, mas ‘sacudindo’ a pressão e responsabilidade de repetir o feito da conquista do quinto lugar.

O plantel barcelense vem de uma prestação histórica, com uma carreira que lhe valeu a inédita qualificação para as competições da UEFA, mas que também catapultou a saída de vários dos protagonistas da temporada anterior.

Desde logo, os ‘galos’, já muito perto do arranque dos trabalhos de pré-época, ficaram sem o treinador Ricardo Soares, que foi seduzido por um projeto financeiramente aliciante dos egípcios do Al-Ahly, deixando o emblema minhoto ao fim de duas épocas, e quando tinha um ano mais de contrato.

Especial Primeira Liga 2022/23: tudo sobre a nova época - análises, opiniões, galerias, vídeos e muito mais sobre mais uma edição do campeonato nacional

A sucessão no comando da equipa foi entregue ao experiente Ivo Vieira, que depois de já ter orientado vários clubes nacionais, aceitou o desafio regressar ao Minho, após passagens pelos vizinhos Famalicão, Vitória de Guimarães e Moreirense.

Ivo Vieira herdou um plantel já em construção – até agora reforçado com oito elementos -, que teve de acelerar o ritmo de integração e preparação para estar disponível para a participação na Liga Conferência Europa, ainda este mês.

O guarda-redes Kritciuk (ex-Zenit, da Rússia), os defesas Lucas Barros (ex-Sporting da Covilhã), Carraça (ex-B-SAD) e Tomás Araújo (ex-Benfica), os médios Pedro Tiba (ex-Lech Poznan, da Polónia) e Mizuki Arai (ex-Tokyo Verdy, do Japão) e os avançados Ali Alipour (ex-Marítimo) Juan Manuel Boselli (ex-Tondela) e Kevin Villodres (ex-Málaga, de Espanha) foram os reforços garantidos neste defeso.

Dependendo da prestação nas competições europeias, os responsáveis do emblema de Barcelos ainda poderão promover mais alguns ajustes ao grupo, mas o objetivo principal na incursão ao mercado foi colmatar as saídas.

As principais baixas no grupo, alavancadas pela boa prestação da equipa em 2021/22, foram as de Pedrinho, que rumou aos turcos do Ankaraguçu, Samuel Lino, recrutado pelos espanhóis do Atlético o Madrid, Antoine Léautey, que foi para os franceses do Amiens, e Zé Carlos, defesa emprestado pelo Sporting de Braga, que esta época rumou aos espanhóis do Ibiza.

Do núcleo duro da temporada passada, ficaram o defesa Lucas Cunha, os médios Vítor Carvalho e Fujimoto ou o avançado Fran Navarro, dando consistência a uma equipa que, segundo os responsáveis, tem como objetivo principal continuar a consolidação na I Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.