O médio Battaglia disse hoje que os jogadores do Sporting de Braga sentem apenas a obrigação de "ganhar todos os jogos" e não a de ficar à frente do Vitória de Guimarães na I Liga de futebol.

O vizinho e rival de Guimarães, que segue na quinta posição, está a apenas dois pontos dos bracarenses, mas para Battaglia a obrigação que os jogadores sentem é apenas a "de ganhar todos os jogos" e não a de ficar à frente do Vitória.

Quarto classificado, o Braga reduziu na última jornada a distância para o Sporting (seis pontos), mas Battaglia não quis responder sobre se os jogadores ainda acreditam no terceiro lugar, preferindo frisar que o objetivo já está traçado [65 pontos].

"Vamos jogo a jogo, não queremos pensar no terceiro ou quarto lugar, no fim veremos", disse à margem de uma visita de uma delegação do clube à Escola Básica do 1.º ciclo do Bairro da Alegria, em Braga.

Na última jornada, o Sporting de Braga pôs fim a um ciclo negativo de seis rondas sem ganhar ao bater em casa o Arouca (3-1).

"Precisávamos dessa vitória, estávamos a trabalhar bem, os resultados não estavam a acontecer, foi uma grande vitória, jogámos bem, em casa, com a nossa gente e agora há que continuar a trabalhar", afirmou.

O treinador, Jorge Simão, voltou a usar o sistema 4x3x3, desta vez de início depois de o ter experimentado na segunda parte com o Vitória de Setúbal, na jornada anterior (1-1), mas para o médio argentino é indiferente.

"É mais um sistema, é importante para podermos jogar assim ou em 4x4x2, mas o treinador é quem decide, eu estou à disponibilidade dele e da equipa. Como me sinto mais confortável? É igual, não tenho preferência", reforçou.

Os minhotos deslocam-se a Chaves no sábado e Battaglia, que começou a época sob a orientação de Jorge Simão no clube transmontano, admite que vai ser um jogo "especial" e que está "um pouco ansioso" pelo regresso.

"Sim, tenho um grande amor por Chaves, trataram-me muito bem, adeptos, equipa técnica, dirigentes, todos, mas agora estou em Braga, vou dar a vida por este clube e vamos fazer o nosso trabalho para conquistar os três pontos", afirmou.

Além de Battaglia e de Jorge Simão, também Paulinho e Assis ingressaram no Sporting de Braga no mercado de inverno, mas para o sul-americano isso não significa automaticamente uma vantagem para os ‘arsenalistas’.

"Se calhar pode ser uma vantagem, se calhar não. Pode ser uma vantagem porque conhecemos alguns jogadores, mas não somos só nos três ou quatro que jogamos, é a equipa toda, vai ser um jogo difícil num campo especial", disse.

O jogador de 25 anos chegou ao Braga a meio da temporada 2013/14, mas só agora conseguiu impor-se, depois de empréstimos a Moreirense e Desportivo de Chaves.

"Finalmente tive a oportunidade de mostrar as minhas capacidades em Braga, eu nunca duvidei que isso ia acontecer, mas no futebol há muitas coisas", disse.

O jogador tem contrato por mais uma temporada e, questionado sobre uma eventual renovação, respondeu que os seus empresários estão a resolver essa questão.

"Eu só quero jogar, estou muito feliz por jogar aqui com os meus companheiros, estou muito feliz em Braga, uma cidade de que gosto muito e gosto de representá-la", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.