Um “bis” de Lima deu vantagem ao conjunto do Restelo, já na segunda parte, mas um auto-golo de Beto e um tento de Manú, este nos últimos minutos, tiraram a preciosa vantagem aos da casa, que, assim, continuam sem vencer desde a segunda jornada.

Sem poder contar com vários atletas, por lesão, o técnico do Belenenses, João Carlos Pereira, só tinha 17 jogadores disponíveis e apostou nos jovens Pelé e André Almeida para o “onze” titular.

Os insulares entraram melhor no jogo, com qualidade na troca de bola e acercavam-se da baliza de Nélson, que, aos 12 minutos, viu um cabeceamento de Djalma acertar na barra da sua baliza, para, 10 minutos depois, ser o “capitão” Bruno a acertar no ferro, na cobrança de um livre directo.

Os extremos Manú, na direita, e Djalma, na esquerda, aceleravam o jogo "verde-rubro" pelas alas e criavam problemas à defensiva do Belenenses, mas não incomodavam o guardião da casa.

Os “azuis” não conseguiam ligar jogadas e utilizavam muito o jogo directo, que acabava por “morrer” na defensiva maritimista, e só aos 40 minutos fizeram o primeiro remate à baliza de Peçanha, por Lima.

Nos primeiros segundos do reatamento, o brasileiro Lima, o grande “agitador” do jogo dos “azuis”, rematou com violência fora da área, mas Peçanha respondeu com boa defesa.

Aos 53 minutos, Gabriel Gomez lançou Lima, que foi derrubado pelo guarda-redes Peçanha dentro da área. O árbitro assinalou grande penalidade e expulsou o guardião brasileiro.

Chamado a converter o castigo máximo, o primeiro assinalado a favor do Belenenses na presente época, Lima não perdoou e inaugurou o marcador no Restelo, fazendo o seu segundo tento na Liga, depois de também já ter marcado ao FC Porto.

Reduzidos a 10 elementos, os insulares ficaram mais vulneráveis e o Belenenses aproveitou para aumentar a contagem, num erro de Alonso, que acabou por isolar Lima. O avançado brasileiro fez o “bis”, batendo Marcelo Boeck.

Apesar da desvantagem, o Marítimo começou a reentrar no jogo e Nélson foi obrigado a duas boas defesas no mesmo minuto, mas, aos 77, nada pôde fazer quando o central Beto desviou para a própria baliza um remate de Manú.

A quatro minutos do final do jogo, os maritimistas chegaram à igualdade, por intermédio de Manú, que empurrou para a baliza, após uma defesa incompleta de Nélson.

Até final, os “azuis” tiveram a derradeira oportunidade para vencer a partida, mas Lima atirou ao lado, com a bola a passar perto do poste da baliza de Marcelo Boeck.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.