O golo do regressado Brahimi traduziu-se na vitória do FC Porto sobre o Vitória de Guimarães num encontro fraco de futebol, que serviu para abrir a 21.ª jornada do campeonato português.

Face ao encontro em Moreira de Cónegos, Julen Lopetegui fez apenas uma alteração na equipa titular, colocando Yacine Brahimi no lugar do espanhol Cristian Tello. O internacional pela seleção argelina esteve ausente por estar a disputar o Campeonato das Nações Africanas. Uma substituição que viria a ser acertada, uma vez que foi pelos pés do extremo portista que surgiu o único golo da partida.

À passagem da meia hora, e graças à astúcia do médio Óliver Torres, Brahimi conseguiu encontrar um buraco na defesa vitoriana e encarar o guarda-redes Assis, marcando aos 31 minutos.

Antes do golo, Jackson Martínez espreitou a baliza contrária por três vezes, aos 4’, 9’ e 30’. Antes do apito inicial, o internacional colombiano recebeu o prémio de melhor jogador do mês de janeiro na I Liga, ele que já leva 16 golos em 21 rondas.

Uma primeira parte em que os Dragões começaram bem, num ritmo acutilante, perante um Vitória de Guimarães muito encolhido, que nunca chegou a assustar a baliza de Fabiano.

O segundo tempo foi diferente. Obrigada a correr atrás do prejuízo, a formação minhota aproveitou-se das fragilidades do FC Porto, que entrou no jogo algo apático e comodista.

Julen Lopetegui não gostava do que via e por isso tirou do terreno do jogo Brahimi e Herrera. As entradas de Tello e Rúben Neves vieram dar mais alento aos Dragões, mas sem o fulgor do primeiro tempo.

O jogo entrou numa fase mais ríspida, com muitas faltas. Uma delas resultou na expulsão do técnico adjunto Rui Barros. O ex-jogador do FC Porto não gostou da entrada (dura) de Cafú sobre Casemiro e do cartão amarelo que o árbitro Nuno Almeida mostrou ao jogador do Vitória. O banco do FC Porto queria ver um vermelho direto.

Quem não gostou desta forma agressiva de jogar por parte dos minhotos foi o técnico espanhol Julen Lopetegui.

Com o jogo a caminhar para um final previsível, Hernâni entrou em ação para defrontar a sua antiga equipa, ele que deu nas vistas com a camisola do Vitória de Guimarães e que recentemente se mudou para o Dragão. Nos poucos minutos em que esteve em campo, Hernâni quase marcou de cabeça, após cruzamento de Alex Sandro. Uma mais-valia para o plantel portista e Rui Vitória sabe isso melhor do que ninguém.

Uma vitória sem notas artísticas por parte do FC Porto, mas justa. Não pelo que fez dentro de campo mas sim pelo o que o Vitória não conseguiu fazer, depois de uma primeira volta promissora.

O próximo desafio dos Dragões é no Bessa, no dérbi portuense, e não poderá contar com Danilo, Alex Sandro e Casemiro. Contudo, estes três jogadores já estarão aptos para o clássico da 23.ª jornada contra o Sporting.

Quanto à tabela classificativa, os azuis e brancos estão provisoriamente a um ponto do primeiro lugar, onde mora o Benfica, que joga este domingo, em casa, contra o Vitória de Setúbal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.