O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, foi destituído do cargo, por decisão da maioria dos sócios que votaram em Assembleia Geral extraordinária, este sábado, na Altice Arena, em Lisboa.

O presidente da Mesa da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, anunciou no local que a destituição do Conselho Diretivo liderado por Bruno de Carvalho foi aprovada com 71,36% dos votos e recebeu 28,64% de votos contra.

Já no que toca a votantes, a diferença foi menor. 65 por cento dos 14 735 sócios que votaram, optaram  pela saída de Bruno de Carvalho, contra 35 que queriam a sua permanência. A diferença entre votantes e votos tem a ver com o número de votos de cada sócio. Os adeptos do Sporting com mais anos de filiação ao clube têm direito a mais votos, ou seja, os mais velhos votaram 'Sim' para a destituição de Bruno de Carvalho.

Votaram 14735 sócios, segundo dos dados oficiais revelados.

Resultados finais e oficiais sobre a destituição da atual direção do Sporting

Sim - 71,36
Não - 28,64
Abstenção - 0,53

O que se segue?

Com a destituição de Bruno de Carvalho, os sócios do Sporting serão novamente chamados às urnas, no dia 8 de setembro, para escolherem uma nova direção mas também uma nova Mesa da Assembleia-Geral e um novo Conselho Fiscal e Disciplinar. O dia das eleições foi avançado por Jaime Marta Soares, presidente demissionário da MAG.

Apesar de destituído e de ter dito que não será candidato, Bruno de Carvalho poderá concorrer às eleições do dia 8 de setembro, caso volte atrás na decisão. Mas essa decisão também está dependente do processo que lhe foi colocado Comissão de Fiscalização, que espera expulsar Bruno de Carvalho de sócio do Sporting.

Vários nomes foram avançados nos últimos dias como possíveis candidatos, como são os casos de Frederico Varandas, que era, até maio, chefe do departamento médico do Sporting. Também Dionísio Castro, antigo atleta do clube, pondera avançar com uma candidatura, Tal como José Maria Ricciardi, antigo vice-presidente do clube, e o advogado Rogério Alves.

Dia histórico para o Sporting

A contagem dos votos depositados nas mais de 50 urnas iniciou-se às 20:40 e foi feita por funcionários do Sporting e uma empresa de auditora, sob vigilância de dezenas de agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) e elementos de uma empresa de segurança privada.

AG do Sporting em EM DIRETO: Bruno de Carvalho destituído da presidência do Sporting
AG do Sporting em EM DIRETO: Bruno de Carvalho destituído da presidência do Sporting
Ver artigo

A contagem dos votos foi realizada no local onde estavam posicionadas as urnas e à vista dos sócios do clube.

Cerca de 15 mil marcaram presença no Altice Arena para voltar sobre a continuidade ou não da atual direção, presidido por Bruno de Carvalho.

As urnas abriram às 14:50. Perto das 19:00, Bruno de Carvalho, acompanhado por outros elementos do CD, marcou presença na reunião magna, depois de ter afirmado que não iria comparecer à primeira AG de destituição da história do Sporting.

Como tudo começou

De recordar que esta Assembleia-geral de destituição foi convocada com o objetivo de decidir o afastamento ou a continuidade de Bruno de Carvalho, presidente do Conselho Diretivo e figura central de uma crise que se agudizou com a perda do segundo lugar na I liga de futebol e a invasão de adeptos à Academia do Sporting, em Alcochete, em 15 de maio.

Bruno de Carvalho, que em fevereiro viu uma larga maioria de sócios legitimar o seu mandato - aprovando alterações aos estatutos e ao regulamento disciplinar, e a continuidade dos órgãos sociais – é o primeiro presidente a enfrentar a possibilidade ser afastado em quase 112 anos de história do clube.

Eleito em 2013 e reconduzido em 2017, Bruno de Carvalho considerou, desde o início, a AG ilegal e disse, mais tarde, que não marcaria presença no plenário que decorre no Altice Arena, em Lisboa. Acabou por comparecer e até votou, apesar de estar suspenso de sócio. Foi Marta Soares quem deu autorização expressa para que exercesse o seu direito de voto.

Em vésperas da AG, o presidente ‘leonino’ afirmou que se afastava do cargo se a sua destituição for votada de forma fidedigna.

A AG foi convocada por Jaime Marta Soares em 24 de maio, numa altura em que presidente da Mesa da Assembleia Geral (MAG) já tinha dito publicamente que se demitira, embora nunca tenha formalizado o pedido.

Além da MAG, o clube ficou também sem quórum no Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD), e o Conselho Diretivo (CD), liderado por Bruno de Carvalho, perdeu seis membros, na sequência do ataque de 15 de maio na Academia, onde cerca de 40 adeptos encapuzados agrediram jogadores e elementos da equipa técnica. DOs atacantes, 27 foram detidos e ficaram em prisão preventiva.

Estes acontecimentos, levaram os futebolistas Rui Patrício, William Carvalho, Gelson Martins, Bruno Fernandes, Battaglia, Bas Dost, Podence, Ruben Ribeiro e Rafel Leão a rescindirem contrato alegando justa causa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.