O treinador da União de Leiria, Pedro Caixinha, disse hoje que a sua equipa vai «assumir o jogo» e olhar o FC Porto «olhos nos olhos» no encontro de terça feira, a contar para a terceira jornada da Liga portuguesa de futebol.

Pedro Caixinha garantiu que a União de Leiria não irá jogar à defesa: «Do outro lado está uma equipa que nos vai causar problemas, por isso, quando não tivermos a bola temos de estar compactos e coesos. Quando a tivermos temos de assumir o jogo e olhar o FC Porto olhos nos olhos».

Segundo o técnico, se estiver preocupado em não perder o jogo vai estar «mais próximo de que isso aconteça». Por isso, garante, não tem «receio de nada».

Ainda sem pontuar neste campeonato, para Pedro Caixinha «qualquer adversário é bom para começar a ter um bom resultado».

Referindo-se ao FC Porto, o técnico considerou que se trata de um «adversário, que merece todo o respeito», mas também, «uma confiança e motivação acrescida».

Uma motivação “extra” para os leirienses, que esperam conquistar os primeiros três pontos da época.

«Frente à Académica tivemos tudo para ganhar o jogo e não o fizemos por culpa própria. Mas, em Paços, ficámos satisfeitos com a equipa e sabemos que a jogar daquela maneira tudo seria mais fácil daí para a frente», acrescentou Pedro Caixinha.

O treinador garantiu que não se sente pressionado para pontuar. «Um jogo de futebol não tem pressão, mas sim emoção. É essa motivação e atitude competitiva que tento transmitir à equipa. No final veremos se errámos ou não na forma como organizámos o jogo, que é uma festa», referiu.

Recusando comentar a saída do avançado portista Falcao para o Atlético de Madrid, Pedro Caixinha recordou que, na época passada, ao serviço do Marítimo, Kléber marcou três golos à União de Leiria.

«É um jogador fantástico, que dará com certeza conta do recado», comentou.

Quanto a Hulk, que apesar de ter estado ao serviço da seleção do Brasil, está entre os convocados do FC Porto, o treinador leiriense referiu que a equipa está «preparada» para o caso do jogador alinhar de início ou entre no decorrer do jogo.

Para Pedro Caixinha, Hulk é «um jogador que requer alguma atenção especial quando tem a bola devido aos desequilíbrios que cria».

Já o FC Porto 2011/12 está «diferente». «Tem os mesmo princípios, as mesmas dinâmicas, mas tem jogadores diferentes, que fazem a diferença, o que não quer dizer que o FC Porto esteja menos forte», sublinhou.

O técnico exemplificou que o FC Porto, na época passada, era «muito forte na transição defensiva e recuperação de bola», apresenta-se hoje como uma equipa onde é possível «encontrar espaços».

A União de Leiria defronta terça-feira o FC Porto, a partir das 20h15, no Estádio Municipal da Marinha Grande, em jogo em atraso da terceira jornada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.