O Benfica teve uma demonstração de força após a eliminação na Taça de Portugal diante do Rio Ave com uma goleada expressiva diante do Tondela por 5-1 em jogo a contar para a 15ª jornada do campeonato nacional. Os 'encarnados' resolveram o jogo cedo e antes do intervalo já venciam por 3-0. A boa entrada do Tondela no jogo acabou por ficar eclipsada com o golo inaugural de Pizzi e no segundo tempo faltou muita agressividade à equipa comanda por Pepa para relançar a incerteza no marcador. Bruno Varela foi determinante no arranque do segundo tempo ao negar um golo aos 47' minutos, e com o regresso de Pizzi às exibições de gala foi difícil travar a goleada coroada com mais dois golos de Jonas.

Resolver na primeira parte, para ganhar confiança no segundo tempo

Esta época, o Benfica tem apresentado uma inconsistência exibicional muito oscilante, e têm sido muitos os jogos em que começa a vencer na primeira parte, mas depois acaba por permitir ao adversário reagir no segundo tempo de forma a virar o marcador. O último exemplo disso ocorreu frente ao Rio Ave, para a Taça de Portugal, e talvez por isso a equipa de Rui Vitória tenha procurado continuamente o segundo golo logo após abrir o marcador. O Tondela entrou bem na partida, procurou desde muito cedo pressionar os jogadores do Benfica, de forma a impedir a construção de jogo a meio campo dos encarnados, mas ao desperdiçar a primeira ocasião de golo permitiu à equipa de Rui Vitória demonstrar toda a sua qualidade com três golos em quatro remates na primeira parte.

Com Pizzi a 'maestro' e Krovinovic a 'solista', Jonas só precisou de seguir o acompanhamento da 'música'

No segundo tempo, o Tondela voltou a entrar bem no jogo, mas voltou a desperdiçar uma excelente ocasião de golo para relançar a partida. Bruno Varela leu bem a 'partitura' aos 47' minutos e antecipou-se ao 'andamento' do Tondela para negar o golo a Miguel Cardoso. O Benfica aproveitou para explorar as dificuldades nas alas de Joãozinho e David Bruno e não permitiu ao Tondela que a sua construção de jogo a meio campo fosse afetada. Com Fejsa a 'estancar' as iniciativas dos adversários, a equipa do Benfica ganhou equilibrio de forma a libertar jogadores mais técnicistas como Pizzi e Krovinovic. Com espaço para jogar, os médios criativos do Benfica abriram espaço para que Salvio e Cervi abrissem caminhos para a baliza contrária, onde habitualmente Jonas não falha. O avançado brasileiro esteve em grande destaque na segunda parte com mais dois golos apontados, e apresenta um registo de 18 golos em 15 jogos para o campeonato esta época. O Tondela ainda reduziu o marcador quando estava 4-0, mas Jonas fixou o resultado final após uma assistência do 'maestro' Pizzi.

Momento do jogo

Se o primeiro golo de Pizzi deu tranquilidade à equipa, o terceiro golo do número 21 arrasou a motivação dos jogadores do Tondela. A jogada começa em Jonas, passa por Cervi e Salvio e termina nos pés de Pizzi, que num remate de primeira mostrou que está de regresso às melhores exibições da época passada.

Faltou agressividade ao Tondela

Com apenas sete faltas marcadas contra o Tondela, a equipa de Pepa esteve longe da sua matriz habitual. A intensidade de jogo do Benfica e a eficácia dos jogadores encarnados contribuiu em grande parte para as dificuldades do Tondela, mas um certo 'complexo de inferioridade' dos beirões acabou por ser determinante para o pior resultado de sempre do Tondela em jogos para o campeonato.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.