Eduardo, que falava depois de, com Moisés e em representação do plantel, receber o prémio Fair-Play do mês de Janeiro do Sindicato dos Jogadores, admitiu que "a última partida foi atípica".

"Foi um mau jogo para nós, assumimos as nossas responsabilidades, mas não é um mau jogo que vai manchar tudo o que fizemos antes. A imagem da equipa é tudo o resto. Estamos confiantes no futuro porque sabemos que valemos muito mais e vamos voltar a ser o que éramos", disse.

A pesada derrota "foi um resultado anormal", mas Eduardo recusa outras consequências: "O que posso garantir é que, depois de tudo o que falámos e rectificámos, a equipa vai apresentar-se ainda mais forte e vai dar uma resposta com a ajuda dos nossos adeptos que têm sido fundamentais no apoio que nos têm prestado".

No final do jogo com os portistas, o "manager" do clube, Carlos Freitas, assumiu a luta pelo título. Instado a comentar este objectivo, Eduardo afirmou: "O Braga joga sempre para ganhar. Queremos voltar à liderança, porque estivemos lá durante muito tempo, queremos voltar a conquistá-la e vamos continuar a lutar por isso".

A equipa orientada por Domingos Paciência ocupa a segunda posição, com 48 pontos, menos um que o Benfica e mais cinco que o FC Porto.
O internacional português elogiou ainda o trabalho do presidente "arsenalista", António Salvador, que hoje cumpre sete anos de "reinado" à frente dos destinos do clube minhoto.

"Toda a gente sabe o que o presidente trouxe a este clube, a forma como cresceu deve-se muito ao que ele tem feito. Tem sido um presidente sempre presente, não deixa faltar nada", disse.

Quanto ao prémio, dedicou-o ao também "capitão" Vandinho "por tudo o que ele representa no balneário", aproveitando para lamentar a sua ausência devido ao castigo de três meses imposto pela Comissão Disciplinar da Liga de Clubes.

Sobre se considerava irónico o Braga receber o prémio Fair-Play depois de serem conhecidos esses castigos (Vandinho e Mossoró), respondeu: "Somos uma equipa correcta, temo-lo sido ao longo do campeonato, somos homens responsáveis e correctos".

Também Mossoró recebeu das mãos dos responsáveis do Sindicato de Jogadores o prémio para melhor jogador do mês de Janeiro.

"É uma valorização profissional e o reconhecimento do trabalho que tem sido feito por mim e por toda a equipa que me tem ajudado bastante para que possa fazer o melhor dentro de campo", disse o médio brasileiro.

Sobre o recente castigo de três jogos reconheceu ter ficado "triste", mas frisou que "esse momento já passou. O mais importante é que o Braga continue com esta campanha", finalizou.

O jogo com o Olhanense disputa-se sábado, às 19:15, no Estádio Municipal de Braga, novamente com entrada gratuita.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.