Ricardo Oliveira, candidato pela lista B à presidência do Sporting, afirmou hoje que teria feito o negócio das VMOC's de maneira diferente e conseguiria poupar ao clube ‘leonino’ 90 milhões de euros.

“A minha solução financeira é completamente diferente daquela que foi apresentada ontem [sexta-feira]”, disse o candidato, criticando o negócio da recompra dos Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC) detidos pelo banco Millenium BCP, numa decisão foi anunciada pela atual direção do Sporting no último dia de campanha.

Apesar de desconhecer os verdadeiros custos da operação, Ricardo Oliveira disse ter uma solução alternativa que pouparia ao clube de Alvalade 90 milhões de euros.

“Esta operação custa 30 milhões de euros, não ficamos com as VMOC's todas, não é verdade que o Sporting tenha comprado as VMOC na totalidade, comprou a parte do BCP, não é verdade que fica com 84%, ficará com 84% das que já converteram, não de todas as que existem”, afirmou, desmentido o que foi escrito ontem, em comunicado, pelo Sporting.

Relativamente ao sufrágio, o atual presidente da Federação Portuguesa de Padel disse não ter qualquer tipo de expectativa.

“Candidatei-me porque entendo que tenho uma solução imediata para o Sporting. Creio ter a melhor equipa. O importante é que todos pudemos manifestar as nossas intenções e apresentar os nossos projetos”, explicou.

Oliveira aproveitou a oportunidade para criticar a falta de abertura do candidato Frederico Varandas para a presença em debates, contudo espera que “depois disto o Sporting saia mais rico”.

Ricardo Oliveira concluiu, dizendo que “qualquer que for o resultado”, e caso não seja eleito, o vencedor terá o seu “apoio total”, uma vez que o seu objetivo ‘e “unir os sportinguistas”.

Os sócios do Sporting escolhem hoje o presidente do Sporting, numa eleição a que concorrem o atual líder, Frederico Varandas, à procura do segundo mandato, Nuno Sousa e Ricardo Oliveira.

As eleições, marcadas para a primeira data disponível, decorrem no Pavilhão João Rocha, em Lisboa, até às 20:00, meia hora antes do Sporting-Arouca, da I Liga de futebol, começar, já depois de os sócios de fora da Área Metropolitana de Lisboa terem tido oportunidade de votar por correspondência.

Os sócios vão votar para uma lista única, que engloba os três órgãos sociais do clube, Mesa da Assembleia Geral (MAG), Conselho Diretivo (CD) e Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD) e respetivos presidentes.

Varandas manteve grande parte da equipa na lista A, mas 'subiu' os vice-presidentes João Eduardo Palma e João Teives Henriques como candidatos à MAG e ao CFD.

Ricardo Oliveira lidera a lista B, e o atual presidente da Federação Portuguesa de Padel traz Miguel Frasquilho, antigo presidente da TAP e da AICEP, como candidato ao CFD, com o advogado Luís Natário em concurso à liderança da MAG.

Na lista C, Nuno Sousa é o candidato a presidente do clube e João Gaspar, antigo assessor de João Rocha, à MAG, com Pedro Neto Domingos a avançar para o CFD.

O Sporting conta com cerca de 54 mil sócios com as quotas em dia para poderem votar nas eleições durante o dia de hoje, em que o clube campeão nacional de futebol defronta o Arouca, pelas 20:30.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.