O musical que retrata a vida e carreira de Eusébio, intitulado "Eusébio, Um Hino ao Futebol", estreou hoje em Lisboa, uma peça que, durante uma hora e meia, conta a vida e carreira do 'pantera negra'.

Foi com um Coliseu dos Recreios repleto de pessoas e emoção que estreou a peça de homenagem a Eusébio da Silva Ferreira, encenação que retrata momentos conhecidos, como outros mais pessoais da vida do 'King'.

Composto por 16 atores, e com uma história contada a partir de uma 'bancada' improvisada, o espetáculo dura os 90 minutos de um jogo de futebol, duranteb os quais Eusébio é homenageado com o objetivo de "dar a conhecer o que de bom fez".

"Acima de tudo, considero este espetáculo uma linda homenagem, é um espetáculo de emoções fortes, onde o objetivo é dar a conhecer o que de bom fez Eusébio ao longo de toda a sua vida", afirmou Ana Rangel, produtora do espetáculo.

Já Sandra Ferreira, filha de Eusébio, salienta que esta é uma homenagem "diferente" e "acertadíssima". "Não quis assistir aos ensaios, porque quero ver esta justa homenagem, até porque o meu pai era uma pessoa da música, das 'blues' e da dança, estava sempre a dançar, é uma homenagem certa, que é feita de forma diferente", sublinhou.

Já Hilário, companheiro de seleção, considerou a criação deste musical "uma ideia muito feliz". "Quem se lembrou desta homenagem teve uma ideia muito feliz, além do futebol, a segunda paixão de Eusébio era a música, era um dançarino. É uma homenagem acertadíssima, ele era felicíssimo nas pistas", sublinhou.

Ao longo do espetáculo, o 'King' é representado apenas por uma criança, que surge de forma esporádica e sem falas, uma vez que um dos objetivos é que a peça seja narrada pelos 'adeptos'.

É ao som de uma canção com o refrão "grande como África, simples como África" que se retratam os primeiros momentos de vida de Eusébio, com destaque para a saída do 'pantera negra' de Moçambique para o Benfica, onde são retratados os difíceis momentos vividos por Eusébio e pela sua mãe, devido à distância que os separava.

Depois da chegada a solo luso, rapidamente são evocados os 'fortes pontapés' de Eusébio logo na chegada aos 'encarnados', não esquecendo a polémica transferência de Eusébio, com o Sporting a também tentar contratar o jogador.

Desde as conquistas europeias pelo Benfica, passando pelo Mundial de 1966 e a bola e bota de ouro conquistadas por Eusébio, tudo é recordado, até aos quartos de final do Euro2004, quando foi recordada a grande penalidade defendida por Ricardo e o célebre abraço entre o guarda-redes e Eusébio após esse momento.

No fim da peça, há uma frase que fica na memória: "Por todo o lado se grita Eusébio". O musical vai estar em cena no Coliseu dos Recreios em Lisboa até 17 de abril, sendo que estará no Porto entre 13 e 15 de maio.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.