O FC Porto manteve hoje a liderança da I Liga, em igualdade com o Sporting, depois de vencer em casa o Vitória de Guimarães, por 2-1, em jogo da 12.ª jornada. Marcus Edwards ainda colocou os vimaranenses em vantagem, de penálti, mas Luis Díaz e Evanilson marcaram os golos da reviravolta dos 'dragões', numa partida em que o Vitória jogou em inferioridade numérica desde os 53 minutos, por expulsão de Mumin.

Ainda invicto no campeonato, o conjunto de Sérgio Conceição somou a sétima vitória consecutiva na I Liga e passou a somar 32 pontos, os mesmos do Sporting, que tem pior diferença de golos, e mais um do que o Benfica, com o Vitória de Guimarães a manter o sétimo posto, com 16.

Veja o resumo

Com Pepe lesionado, Fábio Cardoso estreou-se com a camisola do FC Porto na I Liga – já tinha rendido o capitão em Liverpool. Já Pepa promoveu mais mexidas depois da desilusão em Moreira de Cónegos, na Taça de Portugal: João Ferreira, Rafa Soares, Janvier, André Almeida e Marcus Edwards foram as novidades no onze.

O encontro no Dragão abriu com uma transição rápida da equipa da casa, que só não deu golo porque o remate de Otávio esbarrou em Mumin. O Vitória respondeu logo a seguir, num livre batido de forma curta, com Bruno Duarte a surgir solto na pequena área, mas a acertar mal na bola.

Aos 17’ Taremi fez um passe delicioso para Luis Díaz, que não conseguiu aproveitar a saída precipitada de Bruno Varela e atirou às malhas laterais. Um minuto depois, foi a vez de Rochinha obrigar Diogo Costa a aplicar-se. Sérgio Oliveira também tentou a sorte, num livre bem ao seu jeito, mas a bola passou mesmo a rasar a trave.

Aos 35 minutos, por indicação do VAR, Luís Godinho assinalou penálti a castigar falta de Zaidu sobre Edwards. O extremo inglês atirou para o meio da baliza, Diogo Costa lançou-se para a direita, e estava feito o 1-0 no Dragão.

A vantagem, contudo, durou pouco. Após um livre executado de forma rápida, Luis Díaz (38’) driblou João Ferreira e atirou uma bomba ao ângulo da baliza do Vitória, com a bola ainda a bater no poste antes de entrar - 12.º do colombiano na temporada.

Já em cima do intervalo, Mumin marcou na própria baliza, mas havia fora de jogo de Taremi, e depois foi Bruno Varela a negar o golo a Evanilson com uma excelente intervenção. A bola parecia encaminhar-se para a baliza, mas Munin conseguiu afastar de forma acrobática.

Vitinha rendeu Sérgio Oliveira ao intervalo, mas o jogo só voltou a agitar com a expulsão de Mumin (53'), após calcular mal uma entrada sobre Taremi. Estava estendida a passadeira para o FC Porto, que chegou à reviravolta num belo lance coletivo, a aproveitar o adiantamento do Vitória: Luis Díaz esperou para servir Otávio que conduziu a bola até a saída de Bruno Varela e tocou ao lado para Evanilson finalizar de primeira.

Ricardo Quaresma foi aplaudido de pé quando entrou em campo, aos 66 minutos, mas o Vitória não voltou a incomodar Diogo Costa. Do outro lado, Bruno Varela brilhou ao defender o disparo na área de Taremi (68'), numa saída rápida dos 'dragões' - noite de pouca inspiração para o avançado iraniano. Na recarga, Evanilson tentou marcar de bicicleta, mas a bola saiu por cima da baliza.

Até ao fim ainda houve um momento de confusão que teve André Almeida e Uribe entre os mais exaltados, e Bruno Varela negou duas vezes o golo aos recém-entrados Corona e Manafá. Apesar das (muitas) oportunidades desperdiçadas, o FC Porto consegue o mais importante: vencer e colar-se ao Sporting no topo, a poucos dias do dérbi na Luz.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.