O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) afirmou hoje que existe uma “necessidade urgente” de regular a actividade das apostas desportivas em Portugal para o organismo “ter um justo retorno” da utilização das suas competições.
“Não é tempo de desperdiçar recursos de uma actividade que movimenta cerca de 700 milhões de euros e necessita de ser regulada. É justo o retorno daquilo que é a utilização das competições por parte dos operadores que tiram rendimentos desses direitos que pertencem à Liga”, afirmou Fernando Gomes.
O dirigente máximo LPFP falava aos jornalistas em Lisboa após uma reunião de pouco mais de duas horas de uma Comissão Interministerial, que tem como objectivo apresentar uma proposta de legislação no sector das apostas desportivas online.
“Desde o início do nosso mandato dissemos que a questão das apostas online era uma actividade que não podíamos deixar de vincar junto do governo e alertar para a circunstância de haver um conjunto de receitas que estavam a ser desperdiçadas”, lembrou.
De acordo com Fernando Gomes, há uma “necessidade urgente de resolver e regular” o funcionamento das casas de apostas online em Portugal e considerou que “está tudo no caminho certo para ter essa questão resolvida”.
“O licenciamento de alguns operadores também tornará mais claro e mais fácil a questão dos patrocínios aos clubes e competições. É um tema que não é completamente e suficiente claro em função desses operados não terem actividade regulada”, concluiu o presidente da LPFP.
Por parte da Comissão Interministerial, nenhum membro se mostrou disponível para falar aos jornalistas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.