Pela primeira vez desde que está no FC Porto - e já se passaram 10 anos - Helton não venceu qualquer troféu. O guardião espera que a próxima temporada seja diferente.

Em entrevista ao jornal O Jogo, o guarda-redes falou do processo de recuperação após a lesão, garantindo que nunca lhe passou pela cabeça arrumar as luvas.

"Época mais difícil da carreira? Sem dúvida, não só pela forma como aconteceu a renovação, já depois de o campeonato ter acabado, e por não ter ganho qualquer título, mas sobretudo pelo que tive que lidar durante muito tempo. A recuperação de uma lesão grave, aceitação, não foi nada fácil. Foi a pior época que tive. Não só por ficar por fora, mas também por tudo o que ouvi dizer sobre mim. No futebol, esquece-se muito facilmente as coisas de que somos capazes de fazer".

"Fim de carreira? Não. Não podia terminar a carreira numa maca. A minha família dizia-me a toda a hora que ainda podia dar muita coisa ao futebol e eu pensei dessa forma também".

Renovar para ganhar mais títulos: "Foi uma das razões que me levaram a aceitar a renovar”

Rival na baliza: "Sou fã do Fabiano. Ele trabalha muito. É um profissional exemplar”.

Interesse do FC Porto em Moyà, guardião do Atlético de Madrid: "Se vier para ajudar, ótimo, maravilhoso. Eu quero é que o meu clube vença".

Ausência de títulos: "Horrível. Quem gosta de perder? Fiquei muito triste. Estava mal habituado…Que sirva de exemplo para termos mais humildade para reconhecer os nossos erros e tentar consertá-los".

O guardião de 37 anos renovou por duas temporadas e vai para a 11ª época no FC Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.