Sérgio Conceição comentou pela primeira vez o apedrejamento ao carro onde seguia a sua mulher e dois dos seus filhos, após a derrota do FC Porto diante do Club Brugge, para a Liga dos Campeões.

Apedrejamento ao carro da sua família: "Foi uma situação que me abalou, à mim e à minha família. Aproveito para agradecer o apoio que chegou de todos os quadrantes do futebol, sem distinção clubística, de pessoas que tiveram uma palavra ou gesto de apoio. Agradeço a todos. Ontem tive uma visita ao IPO do Porto e, no final, tive uma declaração onde me emocionei e disse que trocava todas as vitórias, conquistas e momentos felizes da minha carreira neste clube pela vida daqueles miúdos que tive a oportunidade de conhecer e perceber o estado deles. Com a minha família é a mesma coisa. Nada é mais importante que a família e trocava todo o meu sucesso desportivo pelo em estar da minha família. E penso que todos se revejam nestas minhas palavras, de alguém que sofreu, que não fui eu, de um ataque feio, contra pessoas que não estão diretamente ligadas ao sucesso ou não sucesso desportivo do FC Porto".

Apedrejamento teve mais a ver com o momento desportivo? "Não faço a mínima ideia, tudo está a ser investigado. Cheguei cá com 15 anos, já são muitos anos, desde júnior como jogador. Todos os anos fui campeão enquanto jogador e como treinador ganhei em mais de 50 por cento das vezes - três campeonatos em cinco anos. Tive ajuda de toda a estrutura, equipa técnica, toda a gente que me ajudou a ser um dos treinadores mais titulados do FC Porto. Mas para mim e para as pessoas nada conta. O que não podemos é passar dos limites da paixão e vontade de vencer para a estupidez. Foi um gesto inqualificável, um ato isolado. Não é exemplo e nem me revejo nisto assim como toda a gente que ama no FC Porto."

Em 13 de setembro, após a derrota do FC Porto com o Club Brugge (0-4), em jogo da segunda jornada do Grupo B da Liga dos Campeões, a viatura na qual seguiam a mulher do treinador dos ‘dragões’, Liliana Conceição, e dois dos filhos, Rodrigo, de 22 anos, que esteve no banco da partida frente ao tricampeão belga, e José, de sete, foi apedrejada.

Os ‘azuis e brancos’, que averbaram o segundo desaire na prova, mostraram repúdio na quarta-feira e lamentaram “a falta de proteção das autoridades”, apelando a que “o autor ou autores deste ato selvagem” fossem “rapidamente identificados e responsabilizados”.

Dois dias depois, o Comando Metropolitano do Porto da Polícia de Segurança Pública (PSP) anunciou já ter identificado os suspeitos do apedrejamento, que provocou alguns vidros partidos, “tendo o facto sido participado às entidades judiciárias competentes”.

O FC Porto-SC Braga, da 8.ª jornada da I Liga, terá Artur Soares Dias, juiz da Associação de Futebol do Porto. Este terá como assistentes Rui Licínio e Paulo Soares, e o papel de quarto árbitro estará a cargo de David Silva. Na Cidade do Futebol estarão ainda Hugo Miguel como VAR, e Bruno Jesus como assistente.

SC Braga, segundo classificado, com 19 pontos, e FC Porto, terceiro, com 16, defrontam-se a partir das 21h15 de sexta-feira, no Estádio do Dragão, no Porto, e terá, como sempre, acompanhamento AO MINUTO no SAPO Desporto, com fotos e vídeos dos principais lances.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.