O FC Porto venceu hoje na receção ao Santa Clara por 2-0, em jogo da sexta jornada da I Liga portuguesa de futebol, e igualou pontualmente o Benfica na liderança, um dia antes de o Famalicão visitar o Sporting. No final do jogo, o treinador do Santa Clara dirigiu algumas críticas à arbitragem.

O jogo

"Tivemos que retificar ao intervalo. Estávamos pouco agressivos e pressionantes. Se deixarmos o FC Porto jogar mais à vontade, vamos permitindo que criem situações mais perto da nossa baliza. Era isso que não queríamos. Retificámos isso ao intervalo e melhorámos. Mesmo assim, não tivemos tanta bola quanto gostaríamos de ter. Fizemos um jogo abaixo do que temos feito, também por mérito do FC Porto, que foi uma equipa forte, o que resultado num resultado justo. Mas estamos conscientes de que a equipa estava preparada e motivada para vir aqui obter um bom resultado."

Arbitragem

"Gostaríamos também que, situações como a cabeça do Fábio Cardoso... Tem que ser visto sempre equitativamente. Este tipo de lances não podem passar impunes. Somos uma equipa que está neste campeonato, que precisa de pontos e que também gosta de ver os casos bem resolvidos. Não digo que o árbitro podia ter visto, mas o VAR não pode passar impune. A cabeça não abriu sozinha, abriu por uma cotovelada do adversário, na grande área do adversário, logo era grande penalidade, que poderia ter colocado o Santa Clara no jogo. Fica apenas o reparo, que isto sirva de exemplo para crescermos."

1º parte

"Não entrámos tão agressivos, apenas isso. Os jogadores estavam confortáveis, não era um sistema novo. Treinamos isto, apenas não fomos agressivos com e sem bola. Fomos uma equipa demasiado macia para um FC Porto forte."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.