O treinador do Vitória de Guimarães, sexto da Liga de futebol, admitiu este sábado que «há situações complicadas» no plantel por causa dos salários em atraso no clube e avisou que «os jogadores não são máquinas».

Neste momento, são três os meses de salários em atraso no Vitória e isso «influencia», frisou Rui Vitória na antevisão do jogo com o Sporting, no domingo, da 22.ª jornada da Liga de futebol, no Estádio José Alvalade.

Confrontado com notícias que dão conta da dificuldade de jogadores para fazer face a despesas correntes, como rendas de casa, água ou luz, o treinador admitiu essas situações, considerando que são fruto dos "problemas" que o plantel tem vivido ao longo da época.

«Os jogadores, e todos nós, não são máquinas, e não se passa por cima disso. Por mais que tenhamos capacidade para nos abstrairmos e sabendo que é melhor trabalhar sobre vitórias, estas tornam-se mais difíceis de alcançar neste contexto e naturalmente que tudo isso influencia», afirmou.

Rui Vitória disse que não têm «feito grande propaganda dessas coisas», porque existe «um compromisso» de união e de «fazer o melhor pelo Vitória, mas faz com que se trabalhe sem a estabilidade desejada e sem dúvida que há situações complicadas neste grupo de trabalho», afirmou.

Diante do Sporting, «uma equipa muito forte, com grandes jogadores», espera um «jogo difícil e complicado» e lembrou para as consequências para as duas equipas do resultado, uma vez que a distância entre elas é de apenas seis pontos.

Disse não acreditar num eventual cansaço do Sporting - os "leões" jogaram na quinta-feira para a Liga Europa -, e notou até que o triunfo alcançado sobre o Manchester City pode trazer mais vantagens já que com índices de confiança em alta, "o cansaço diminui", disse.

«Temos respeito pelo adversário, consciência que há uma equipa poderosa do outro lado, mas também a ambição grande de tentar vencer», disse, considerando ainda que «não há alterações fundamentais» entre o Sporting de Sá Pinto e o de Domingos Paciência.

Sobre a nomeação do árbitro Artur Soares Dias, que já não apita um jogo do Vitória de Guimarães desde um polémico jogo com o Sporting de Braga, há duas épocas, considerou-a normal.

«É um belíssimo árbitro, ele ficou um pouco marcado aqui em Guimarães por causa desse jogo, mas tem qualidade, não há que fazer dramas com essas questões», disse.

O jogo começa às 20h15 de domingo, no Estádio José de Alvalade, em Lisboa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.