O Marítimo alcançou hoje o seu segundo triunfo seguido na I Liga portuguesa de futebol, ao vencer no terreno do Vitória de Setúbal, por 1-0, em jogo da sétima jornada.

No Estádio do Bonfim, em Setúbal, o brasileiro Dyego Sousa marcou, aos 55 minutos, e o golo que permitiu à equipa madeirense encadear duas vitórias pela primeira vez esta época e que impôs aos sadinos a terceira derrota consecutiva. Sobre o minuto 90, Fransérgio ainda falhou um penalti que daria o 2-0.

"Quando se perde é sempre mau. A equipa entrou muito ansiosa no jogo e não conseguiu ligá-lo. Não conseguimos e fomos perdendo a confiança. A seguir ao intervalo, entrámos melhor, mas cometemos erros. Sabendo que o Dyego Sousa é a referência das bolas paradas, permitimos espaço e que eles fizessem golo. O jogo complicou-se, o Marítimo adormeceu mais o jogo e nós, mais do que defensivamente, ofensivamente estivemos bem pior", começou por dizer José Couceiro, treinador do Vitória F.C. após a derrota com o Marítimo.

"Três derrotas é um ciclo negativo. Disse no início que não entrava em euforias e agora também não entro em depressões. Sabemos qual o nosso objetivo e que vamos ter de trabalhar muito até ao final. O primeiro objetivo é a manutenção e depois logo se verá. Vai ser uma luta. Com sete jogos, oito pontos, atingimos os objetivos, mas importa-me perceber o que se passa e corrigir isso. O campeonato agora para e vamos tentar corrigir isso. Havia problemas já identificados, hoje alguns agudizaram-se e não há que fazer de conta que não se passa nada. É hora de arranjar soluções para os problemas", acrescentou José Peseiro sobre o ciclo negativo de três derrotas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.