Os leixonenses estiveram por duas vezes em desvantagem, mas conseguiram o triunfo no último instante, beneficiando de um castigo máximo assinalado por mão na bola de Mamadou.

Os leirienses, que sofreram a primeira derrota fora de casa, mostraram mais qualidade técnica e, depois do golo de Carlão (19 minutos) ter obtido resposta de Léo (29), pareciam lançados para a vitória nas segunda parte quando chegaram ao 1-2, graças a um autogolo de Benítez (69).

No entanto, o grande golo de Zé Manuel, aos 72 minutos, fez renascer a equipa leixonense, que pressionou o adversário nos últimos minutos e deve o triunfo à garra apresentada em campo.

As duas equipas apresentaram-se com sistemas tácticos idênticos (4-4-2 em losango), tendo o Leixões tido mais posse de bola na fase inicial do desafio, sem quaisquer resultados práticos.

Aos 19 minutos, o leiriense Carlão deu um pontapé na monotonia e inaugurou o marcador com um potente e colocado tiro de fora da área, não dando hipóteses ao guardião Diego.

Os forasteiros marcaram no primeiro lance de perigo criado, mas os matosinhenses não ficaram atrás: 10 minutos depois, na sequência de um canto, Tiago Cintra cruzou da esquerda e Léo cabeceou para o empate.

A partir daí, o encontro tornou-se mais animado, com lances de perigo em ambas as áreas.

No entanto, a União de Leiria foi sempre a equipa mais racional e demonstrou mais qualidade técnica, como ficou demonstrado aos 41 minutos, quando Pateiro cruzou da esquerda para Carlão, sempre em evidência, cabecear ao poste.

Após o intervalo, a União de Leiria criou duas boas ocasiões para regressar à vantagem, na sequência de pontapés de canto: primeiro foi Bruno Miguel, aos 47 minutos, a obrigar Diego a defesa muito apertada e um minutos depois Cássio cabeceou ao lado, sem oposição.

Perante um Leixões inoperante no capítulo ofensivo, os forasteiros foram-se aproximando da área contrária e Cássio, de cabeça, aos 57 minutos, obrigou Diego a nova boa defesa.

Aos 69 minutos, após cruzamento rasteiro da esquerda de Pateiro, o defesa Benítez introduziu a bola na sua própria baliza, pressionado por um adversário.

O argentino emprestado pelo FC Porto, que teve uma exibição muito fraca, foi substituído dois minutos depois por Zé Manuel, que emprestou uma nova dinâmica ao Leixões.

Aos 72 minutos, o veterano leixonense roubou a bola a André Santos, encontrou espaço à entrada da área adversária e disparou um "míssil", restabelecendo o empate.

Num final de partida emocionante, com oportunidades para ambos os lados, o Leixões acabou por ser mais feliz e beneficiou de um penalti, por mão na bola, de Mamadou, aos 93 minutos, após remate de Zé Manuel.

Hugo Morais converteu o castigo máximo e estabeleceu o 3-2 final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.