A primeira volta da I Liga de futebol confirmou o Benfica na liderança, com sete pontos de vantagem sobre o FC Porto, e o treinador Manuel Cajuda considera ser “muito difícil” uma reviravolta até ao final da prova.

“Sou realista. Acho bastante difícil o FC Porto recuperar sete pontos para o Benfica, mas a realidade também diz – e é uma realidade que não tem muito tempo – que o Benfica fez exatamente isso. Dizer que é impossível, não. O próprio Benfica é um exemplo disso. Dizer que é normal ou que possa vir a acontecer, é muito, muito difícil que venha a acontecer”, disse.

Em entrevista à Lusa, o experiente técnico português, que orientou na época passada o Académico de Viseu e passou já por inúmeros emblemas, como o Sporting de Braga, o Vitória de Guimarães ou o Belenenses, sublinhou mesmo que a ‘folga’ pontual entre os dois rivais supera mesmo as melhores expectativas dos adeptos do clube da Luz para esta fase do campeonato.

“Nem os mais ferrenhos adeptos benfiquistas poderiam imaginar que no final da primeira volta o Benfica tivesse sete pontos de avanço para o FC Porto e 19 para o Sporting. O único facto anormal nesta classificação é a intromissão do Famalicão nos primeiros lugares. Há que salientar e muito bem, o Famalicão, com o terceiro lugar, tem mérito total”, afirmou.

Sobre o Sporting, Manuel Cajuda lamentou os “traumas” recentes do clube de Alvalade. Contudo, mostrou-se agradado com a evoluções dos ‘leões’ desde que Jorge Silas assumiu o comando da equipa, acreditando na recuperação do terceiro lugar.

“Em termos qualitativos, o Sporting tem melhorado muito. Fez um excelente jogo com o FC Porto, um excelente jogo com o Benfica, e está a jogar muito melhor do que há dois meses. Se continuar nesta melhoria que se está a ver, acredito que o Sporting pode chegar ao terceiro lugar ou, pelo menos, manter o quarto. Agora, também é visível que o Sporting de Braga está a recuperar a olhos vistos e que o Famalicão está a ceder muito pouco e que pode sonhar”, lembrou.

Embora haja ainda ‘meio campeonato’ pela frente, o veterano treinador, de 68 anos, defendeu que já não espera a intromissão de mais ‘outsiders’ e que a perspetiva da qualidade geral do futebol da I Liga não é a mais positiva para o que resta até ao final da temporada.

“Há um terço de jogos realmente interessantes, mas dois terços dos jogos deixam muito a desejar. Este campeonato é marcado por um futebol que eu não entendo: os defesas são quem mais troca a bola, os médios jogam só para o lado e os avançados jogam na maior parte das vezes para trás”, frisou, sintetizando o nivelamento por baixo da competição numa ideia: “A luta para não descer parece-me nesta altura mais interessante do que a luta pelo título”.

Por fim, no que toca a jogadores, Manuel Cajuda colocou o benfiquista Pizzi e o sportinguista Bruno Fernandes acima da concorrência, mas preferiu salientar as “revelações” Marcus Edwards (Vitória de Guimarães), Trincão (Sporting de Braga), Vinícius (Benfica) e Luis Díaz (FC Porto).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.