O Sporting somou a 14ª vitória em 17 jornadas na I Liga ao vencer por 2-0 no terreno do Marítimo, terminando assim a primeira volta da prova com seis pontos de vantagem no topo sobre o mais direto perseguidor, o FC Porto.

Rúben Amorim apostou em Paulinho no 'onze' inicial, mas o herói leonino voltou a ser o mesmo de tantos outros jogos esta temporada. Pedro Gonçalves bisou, chegou aos 14 golos na prova e ofereceu mais três pontos ao conjunto de Alvalade, que segue assim imparável na liderança.

Sporting entra com tudo e marca cedo

Rúben Amorim apostou no reforço Paulinho para a titularidade e quase era recompensado logo nos instantes iniciais. O Sporting entrou bem e, no seguimento de uma excelente jogada, ao primeiro toque, o antigo avançado do Sp.Braga assistiu Antunes, outra das novidades no 'onze', e este rematou ligeiramente ao lado.

Pouco depois, foi o próprio Paulinho a ficar perto do golo, num cabeceamento após cruzamento de Pedro Porro.

Não marcou Paulinho, marcou o 'goleador' do costume dos 'verdes e brancos', estavam decorridos apenas nove minutos de jogo. A jogada começou com um passe de Gonçalo Inácio - outra novidade na equipa inicial - para as costas da defesa maritimista e Pedro Gonçalves aproveitou a saída de Abedzadeh para contornar o guarda-redes e atirar para o fundo da baliza, fazendo o seu 13º golo da época na I Liga.

'Leões' continuam a pressionar e Marítimo não consegue reagir

Mesmo marcando cedo, o Sporting continuo a pressionar muito alto e o Marítimo mostrava dificuldade em conseguir sair da sua defesa com a bola controlada, vendo o adversário recuperar muitas bolas em zona perigosa, ainda que sem voltar a ameaçar a baliza dos da casa.

Num dos poucos lances em que o Marítimo conseguiu ultrapassar essa primeira linha pressão leonina e seguir com a bola controlada para o meio campo contrário, Sassá tentou a sua sorte de longe, mas o disparo saiu muito ao lado da baliza à guarda de Ádan.

O Sporting, contudo, continuava a mandar no jogo e Pedro Porro criou perigo pela direita, na sequência de uma excelente jogada individual. Nuno Santos também teve oportunidade de visar a baliza madeirense, mas atirou por cima e o resultado não sofreu mais alterações no primeiro tempo.

Segundo tempo arranca com Sporting a continuar a mandar

Milton Mendes, treinador do Marítimo, optou por não mexer ao intervalo e o Sporting voltou a entrar por cima no segundo tempo. Logo a abrir os segundos 45 minutos Nuno Santos arrancou pela esquerda, ganhou espaço e cruzou rasteiro na direção de Paulinho que desviou em habilidade, de calcanhar.

Seria um golo de sonho no jogo de estreia para o avançado internacional português, mas a bola saiu fraca, para defesa fácil de Abedzadeh. Minutos depois foi Gonçalo Inácio a cabecear ao lado no seguimento de um pontapé de canto cobrado por Pedro Porro.

Marítimo mexe, mas é o Sporting que volta a marcar

Com o Sporting a continuar a mandar no jogo, Milton Mendes, treinador do Marítimo, resolveu mexer na equipa lançando em campo dois jogadores: o reforço de inverno Karo, defesa, e o avançado Alipour. Só que, três minutos depois destas mexidas, quem voltaria a marcar era o Sporting, e pelo homem do costume.

Nuno Santos colocou na esquerda em Antunes, o lateral tirou o cruzamento rasteiro para o coração da grande área do Marítimo e Pedro Gonçalves atirou de pé direito, fora do alcance de Abedzadeh.

A ganhar por 2-0, Rúben Amorim lançou Tiago Tomás para o lugar de Paulinho, que assim ficou em branco na sua estreia de 'leão ao peito'. O Sporting baixou um pouco o ritmo e o Marítimo começou, enfim, a surgir mais vezes junto da grande área leonina.

O conjunto madeirense conseguiu conquistar alguns pontapés de canto, teve um livre relativamente perigoso, mas Adán continuou a ter uma noite muito tranquila.

Leões controlam até ao fim e seguem firmes no topo

O último quarto de hora do encontro foi jogado numa toada mais lenta. O Sporting procurou aproveitar o balanceamento atacante de um Marítimo agora mais afoito, e Bruno Tabata, que saltou do banco para substituir Nuno Santos, acabou mesmo por surgir isolado, mas perdeu muito tempo e acabou desarmado.

Os minutos foram passando sem grandes lances de perigo junto de qualquer das balizas, com os 'leões' a controlarem as operações até ao apito final e houve ainda tempo para o regressado João Pereira também entrar em campo. Estava cumprido o objetivo: desforra da derrota sofrida naquele mesmo estádio para a Taça de Portugal e vantagem dilatada para seis pontos no topo da I Liga ao fim da primeira volta. Com Pedro Gonçalves, uma vez mais, em destaque.

Já o Marítimo, por seu lado, sofreu assim a sua terceira derrota consecutiva na prova e segue no 10.º posto.

VEJA O RESUMO DO ENCONTRO

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.