Os avançados Mateus e Mário Rondon foram os marcadores de serviço hoje no regresso às vitórias do Nacional na Liga de futebol, naquele que foi também o último jogo do técnico Ivo Vieira no comando dos insulares.

No encontro relativo à nona jornada da prova, os aveirenses ainda conseguiram responder por intermédio de Douglas, mas o golo revelou-se insuficiente para que a equipa conquistasse pontos no Estádio da Madeira.

Com este triunfo, o Nacional, que a partir de segunda-feira será orientado por Pedro Caixinha, soma agora 10 pontos, colocando-se provisoriamente no nono posto, enquanto o Beira-Mar é 12.º com sete pontos.

Os madeirenses deram mostras muito cedo de quererem assumir o controlo do jogo e fizeram-no com alguma naturalidade, face a um adversário que nos primeiros 20 minutos ofereceu pouca resistência.

Apesar de o Beira-Mar ter desfrutado da primeira oportunidade, num remate de Douglas, logo aos quatro minutos, foi o Nacional quem chegou ao golo, aos 17 minutos, num lance na esquerda em que Mateus rematou forte e colocado, batendo Rui Rego pela primeira vez no jogo.

Galvanizado com a vantagem, o Nacional foi embusca do segundo tento e Mário Rondon, aos 23 minutos, ampliou a vantagem. Diego Barcellos assistiu Juliano e este, em boa posição para marcar, ofereceu o golo ao venezuelano, que surgiu isolado frente a Rui Rego e não teve dificuldades em bater o guarda-redes aveirense.

A perder por 2-0, o Beira-Mar teve que arriscar e, depois de um primeiro lance em que Balboa cabeceou ao poste, aos 27 minutos, a equipa aveirense empatou. Zhang cruzou na direita e Douglas elevou-se bem, cabeceando vitoriosamente.

Aos 38 minutos, o Nacional ficou reduzido a 10, devido à expulsão de Felipe Lopes, facto que obrigou o treinador dos madeirenses a abdicar de um médio (Juliano) para compor o eixo defensivo, entrando Luís Neto.

Antes do intervalo, Luís Neto podia ter feito o terceiro golo da sua equipa, mas o poste devolveu o cabeceamento do defesa.

Na segunda parte, a equipa de Aveiro tentou o tudo por tudo para chegar à igualdade, mas a falta de eficácia no último terço do campo impediu a concretização dessa intenção.

Com menos volume ofensivo nessa fase do jogo, o Nacional criou algum perigo cada vez que se aproximou da baliza adversária e Luís Neto, aos 72 minutos, voltou a errar o alvo, num cabeceamento que saiu ao lado.

Minutos depois, o Beira-Mar também ficou reduzido a 10, devido à expulsão de Nuno Coelho, pelo que a tarefa de chegar ao empate ficou mais difícil.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.