Nani foi apresentado esta quarta-feira pelo presidente da SAD leonina, José Sousa Cintra, no Auditório Artur Agostinho. O extremo de 31 anos desvinculou-se do Valência e assinou com o clube de Alvalade a custo zero por duas temporadas com mais uma de opção.

“É sempre bom voltar a casa e é sempre bom estar perto da família e dos amigos numa casa que bem conheço e onde me sinto muito bem. Estou muito feliz com esta decisão que tomei. Vou ter muito trabalho, muita dedicação e muita ambição”, garantiu Nani.

O extremo abordou ainda a situação complicada que o Sporting viveu. “O clube passou por uma fase complicada, mas nós estamos aqui para dar a volta e para ter a certeza que o clube possa melhorar a cada dia e é isso que eu vou fazer, dar o melhor para sermos todos felizes”, confirmou, acrescentando ainda que "em relação às agressões em Alcochete, já fazem parte do passado, todos já deram a sua opinião, a sua visão, todos já falaram, mas agora é um tema encerrado. Estamos aqui para falar de coisas positivas, de criar um grupo forte, focado no que o clube pode fazer".

Nani reforçou que "a vinda para o Sporting foi uma decisão pessoal. Era importante voltar a Portugal, voltar a casa. Estou de corpo e alma e disposto a lutar por este clube" e que "é sempre bom voltar a trabalhar com um técnico que faz parte da nossa história. O José Peseiro foi quem me lançou na Primeira Liga em Portugal, é muito bom poder voltar a trabalhar com ele."

"Temos de pensar em fazer um grupo forte, dedicado, ciente das nossas capacidades, do que são as nossas possibilidades. Se formos um grupo coeso, tudo é possível. O mais importante é estarmos bem, com o clube, com a equipa. Se assim for, conseguiremos dar uma boa resposta dentro de campo", afirmou Nani.

Sobre a escolha de clubes, Nani garantiu que não veio para Alvalade por ser a única proposta. "Tive muitas propostas, algumas alicientes, mas preferi o Sporting por uma questão de orgulho, de palavra. E estou muito feliz com a decisão. Podem dizer o que quiserem mas o que conta é o que sinto e quero,  estou feliz com a decisão de vir para o Sporting."

Questionado sobre o facto de ter ficado de fora das escolhas de Fernando Santos para o Mundial da Rússia, Nani disse que "estivesse onde estivesse iria sempre pensar que estaria sempre à disposição do selecionador, assim ele decidisse". "Mas a minha vinda para o Sporting foi uma decisão pessoal. Pelo que tenho vindo a sentir no futebol era importante voltar a ponto de partida, a casa, onde possa sentir-me acarinhado pela minha gente. Essas pessoas merecem, por isso estou aqui hoje, de corpo e alma, disposto a lutar por este clube e ajudá-lo a alcançar os seus objetivos", acrescentou.

Nani deixou o Sporting no final da época 2006/2007 depois de quatro épocas no clube de Alvalade. Esteve oito épocas ao serviço do Manchester United, a última delas emprestado aos 'leões' em 2014/2015. Na temporada seguinte rumou ao Fernerbahçe e em 2016 foi transferido para o Valência, onde se manteve até agora, sendo que na última época jogou na Lazio por empréstimo. No emblema italiano fez 25 jogos e marcou três golos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.