O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, criticou hoje a possível criação da Superliga europeia, considerando que “colocaria em causa todos os alicerces” da modalidade.

“A hipótese da criação de uma Superliga europeia, pensada e desenhada por uma pequena elite com intenções exclusivas, é algo a que nos continuaremos a opor frontalmente. Uma insanidade que colocaria em causa todos os alicerces fundamentais em que o futebol sempre se desenvolveu”, defendeu Pedro Proença, na rede social Facebook.

Num curto comentário, Pedro Proença garantiu “firmeza e união na defesa das ligas nacionais, do mérito desportivo e de modelos que contribuam para o crescimento de todo o ecossistema do futebol e não apenas de uma reduzida e egoísta elite”.

A publicação do presidente da LPFP surgiu no mesmo dia em que a UEFA reafirmou que excluirá os clubes que integrem uma eventual Superliga europeia de futebol, e que tomará “todas as medidas necessárias, a nível judicial e desportivo” para inviabilizar a criação de um “projeto cínico”.

Na sua luta contra a pretensão de alguns dos mais poderosos clubes da Europa, a UEFA disse contar com o apoio das federações de Inglaterra, Espanha e Itália, bem como das ligas de futebol destes três países.

Tal como já foi anunciado pela UEFA e por aqueles seis organismos, informamos que os clubes envolvidos serão impedidos de disputar qualquer outra competição, a nível nacional, europeu e mundial e os seus jogadores não poderão representar as respetivas seleções nacionais”, informou a UEFA, em comunicado.

A UEFA deve anunciar na segunda-feira o novo formato das competições europeias a partir da época 2024, sendo esperado uma alteração no modelo da Liga dos Campeões e um aumento para 36 equipas.

Em janeiro, a FIFA já tinha avisado, num comunicado conjunto com as confederações do futebol mundial, que impediria de participar nas suas competições qualquer clube ou jogador que integrasse uma eventual competição de elite, disputada por convite por alguns dos maiores clubes europeus.

Também Gary Neville, antigo jogador do Manchester United, mostrou-se "enojado" ao saber que o clube que tanto admira faz parte do grupo de apoiantes de uma nova Superliga Europeia, cujo anúncio está iminente.

A Liga Inglesa também está completamente contra a criação de uma Superliga Europeia e contra a participação de clubes ingleses na mesma. O organismo emitiu um comunicado esta tarde, onde condena "qualquer proposta que ataque os princípios da competição aberta e do mérito desportivo".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.