O treinador do Paços de Ferreira disse hoje que a equipa seguiu “tudo à risca” durante a paragem forçada do campeonato e “está muito bem”, ambicionando vencer o Rio Ave, na 25.ª jornada da I Liga de futebol.

 Na antevisão ao jogo de domingo, em Vila do Conde, Pepa disse que o Paços trabalhou “no limite” nas semanas em que não houve futebol devido à pandemia de COVID-19 e “tudo foi monitorizado”, num “trabalho fantástico de toda a estrutura”, para que tudo corra bem.

“Seguimos tudo à risca, e ficava muito tempo a dar exemplos do que foi feito, não só na logística, como na segurança, higienização, protocolo e medidas de recomendação. Na bola estamos ansiosos, sentimos a equipa muito bem e preparada, mas ‘só depois de abrir o melão’, pois não tivemos o barómetro dos jogos de preparação”, disse Pepa, em conferência de imprensa.

 A ausência de espetadores nos estádios é uma das novidades da retoma do campeonato e um aspeto que o técnico espera ver corrigido rapidamente, ainda que com limitações, lembrando que “os portugueses respeitaram as recomendações” e souberam responder ao problema do novo coronavírus com civismo.

 “Sou 100% a favor de que os adeptos voltem ao futebol. Temos visto alguns jogos partidos, maior distância entre linhas, algumas precipitações com bola e dificuldades físicas, mas nada que não seja normal. Com as dificuldades inerentes a uma paragem nunca vista, as equipas têm estado bem e já se vê muita competitividade”, analisou, sem deixar de associar algumas desconcentrações e erros à falta de público nas bancadas.

 Em tempos de exceção, Pepa torce também pela aprovação das cinco substituições em cada jogo, assumindo que essa possibilidade, que também concorre para a diminuição do risco de lesão nos jogadores, permite “um planeamento diferente” para cada encontro.

 Para o Paços, o regresso à competição será feito em Vila do Conde, diante de um Rio ave que mereceu elogios de Pepa.

 “Estão fazer uma segunda volta fantástica, aliando a qualidade de jogo aos pontos, e, por isso, os meus parabéns ao Rio Ave. Mas isso não nos retira motivação, temos de estar preparados e analisar duas ou três situações deles na fase de construção, sobretudo, e trabalhar de forma competente e organizada para os três pontos”, referiu.

 Nesta altura, para Pepa, “a classificação é uma questão de perspetiva”: “Se quisermos olhar para baixo, começamos apertados, mas, para cima, como eu gosto sempre de olhar, temos um grupo de equipas com 25 pontos. Queremos chegar já amanhã [domingo] aos 25 e entrar nessa carruagem. Isso é o nosso foco principal”, concluiu.

 Simão Bertelli e Adriano Castanheira, por lesão, falham o jogo de Vila do Conde, numa lista de ausentes extensiva a Oleg, que cumpre castigo, e Murilo, cedido pelos vila-condenses.

 Na classificação, o Paços, em 16º lugar, está no limite da permanência, com 22 pontos, enquanto o Rio Ave é sétimo, com 38.

 O jogo realiza-se em Vila do Conde, no domingo, a partir das 21:00, e terá arbitragem de Tiago Martins, da Associação de Lisboa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.