Em mais um episódio de Ironias do Destino, do Porto Canal, Pinto da Costa voltou atrás no tempo, desta vez para recordar a saída de André Villas-Boas - em 2012, para rumar aos ingleses do Chelsea - que seria substituído por Vítor Pereira.

"Foi importante a continuidade. Fomos apanhados um bocado de surpresa com a saída do André Villas-Boas, porque ele tinha contrato, mas apareceu o Chelsea. Foi uma saída um pouco intempestiva e sem estarmos a contar com isso", começa por lembrar o presidente do FC Porto.

"Naquela emergência de arranjar um substituto, uma vez que não podíamos impedir a saída do André, porque o Chelsea pagou a cláusula de rescisão, entendemos que o melhor seria a continuidade do trabalho. O Vítor Pereira era o número dois do André, mas muito perto dele e com muita influência, e era uma pessoa que os jogadores respeitavam. Veio-se a provar que foi uma boa aposta, venceu dois campeonatos. Os jogadores adaptaram-se porque também o conheciam bem", acrescentou.

Recorde-se que André Villas-Boas chegou ao comando técnico do FC Porto na temporada 2010/2011, proveniente da Académica de Coimbra. Numa época, André Villas-Boas guiou os 'dragões' à conquista da Supertaça, da Primeira Liga (sem qualquer derrota), da Taça de Portugal e da Liga Europa, numa temporada histórica para os azuis-e-brancos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.