O documento, que apresentou um resultado total de proveitos na ordem dos seis milhões de euros, conseguiu a diminuição do passivo em cerca de um milhão de euros.

Como principal explicação para os resultados positivos do emblema vila-condense foram avançadas as mais-valias geradas pela venda de jogadores em 2009/2010.

Perante os números apresentados, que atestam a boa saúde financeira do clube, um dos associados propôs um voto de louvor à actual direcção, algo que foi também aprovado por unanimidade.

António Silva Campos, presidente em exercício, que se irá recandidatar a um novo mandato de dois anos, explicou, no final da reunião magna, os resultados obtidos.

“Quando tomamos posse do clube, há dois anos, as contas eram negativas, mas conseguimos, com muito trabalho, rigor e dedicação inverter esse ciclo”, começou por dizer o líder do Rio Ave

António Silva Campos falou ainda na importância do Rio Ave conseguir, todas as épocas, “vender alguns dos seus activos”, considerando que o clube “tem feito bons negócios neste capítulo”.

Durante a assembleia-geral, o presidente do emblema vila-condense reconheceu que a actual conjuntura não é propícia a que o clube pense na construção de um novo estádio.

“Temos de ser realistas, um estádio novo custaria muitos milhões, e não temos capacidade financeira para pensar um projecto desses. Só poderíamos avançar com um parceiro, mas é difícil encontrar alguém nesta fase”, garantiu o dirigente.

Já antevendo o seu próximo mandato, após o acto eleitoral, com lista única, que se realiza no próximo fim-de-semana, António Silva Campos partilhou uma das prioridades.

“Vamos dar a máxima atenção às condições das camadas jovens, pois é aí que este clube pode tirar alguns dos seus maiores activos”, garantiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.