O treinador do Sporting, Rúben Amorim, em declarações na flash interview da SportTV, após o triunfo diante do Nacional, em jogo da 30.ª jornada da Liga.

Análise: "Nesta fase não existem jogos fáceis, mas dominámos o jogo. O Nacional sempre a parar o jogo, sabendo que a ansiedade iria crescer. Marcámos na segunda parte. Houve uma equipa que quis marcar golo e outra que quis deixar passar o tempo para criar uma surpresa numa bola parada ou numa transição. Portanto, acaba por ser justo".

Alterações na equipa: "Tirámos o Palhinha porque o Nacional não estava a ter muitas transições. Portanto, a opção foi manter o Daniel Bragança e baixar o Pote, jogadores mais ofensivos, e ter mais um homem na frente [Jovane], que é forte a segurar e remata bem de longe. Fez um excelente trabalho. Já se viu este ano que nunca se sabe quem vai ser decisivo".

Euforia: "É ir jogo a jogo, como temos vindo a fazer. Há um ano e meio, quando chegámos, havia também manifestações [de adeptos], mas contra".

O líder Sporting manteve os seis pontos de avanço sobre o FC Porto, segundo classificado, ao vencer em casa o lanterna-vermelha Nacional por 2-0, em jogo da 30.ª jornada.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.