A sociedade esclareceu ainda que os resultados consolidados apresentados não incorporam ainda as vendas de Lisandro Lopes, de Aly Cissok e de Ibson.

No final do exercício, o passivo total aumentou 19,7 milhões de euros, fixando-se nos 160,8 milhões de euros, justificado pelos investimentos feitos em novos jogadores, mas a sociedade esclareceu que o mesmo foi "entretanto liquidado pelas verbas recebidas nos meses de Julho e Agosto".

No documento entregue na CMVM, o FC Porto - Futebol SAD destacou ainda que no exercício se estabilizou o "rácio Salários versus Proveitos Operacionais, excluindo transacções de passes de jogadores, em cerca de 70 por cento, tal como recomendado pela UEFA".

O Activo Total Líquido cresceu para 183,6 milhões de euros, o que, de acordo com o documento "representa um aumento de 16 por cento" face ao valor a 30 de Junho do ano anterior, "justificado essencialmente pelos investimentos efectuados em novos jogadores, assim pelos valores a receber das vendas efectuadas no fim do exercício".

Os Resultados Operacionais Totais ascenderam na época 2008/2009 a 11,2 milhões de euros, "que se comparam com os 12,7 milhões de euros apresentados no período anterior".

O crescimento dos capitais Próprios atingiu a 30 de Junho de 2009 "o valor global de 22,8 milhões de euros".

Os Proveitos Operacionais, excluindo transacções de passes de jogadores, atingiram 68,1 milhões de euros, o que representou um acréscimo de 24 por cento, relativamente a 2007/2008, onde atingiu os 55 milhões de euros.

Já os Custos Operacionais, excluindo transacções de passes de jogadores, fixaram-se nos 73,2 milhões de euros, "devido essencialmente ao crescimento da massa salarial, justificado pela inclusão dos prémios relativos à perfomance desportiva e à renovação dos vínculos de vários atletas".

Os rendimentos da actividade ascenderam (EBITDA - cash-flow operacional) a 38,1 milhões de euros, "o que representa uma margem de EBITDA de 47 por cento. A sociedade esclareceu que este indicador aumentou 14 por cento face aos 33,4 milhões apresentados em 2007/2008.

A participação na Liga dos Campeões rendeu 16,2 milhões de euros, na que foi a maior receita da sociedade no exercício e que em parte explica o crescimento das receitas excluíndo a transação de jogadores, que passou de 55 para 68,1.

Em sinal contrário estão os custos com o pessoal, a fatia de leão dos 73,2 milhões de custos operacionais. Em salários e prémios a SAD do FC Porto gastou 47,5 milhões de euros, valor que no exercício anterior era de 38,7 milhões.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.