Sérgio Conceição analisou o triunfo sobre o Famalicão e explicou ausência de Marega.

Ausência de Marega

"Optei por jogadores que estavam a 100 por cento a todos os níveis. Faz parte do meu trabalho e optei por estes 11 que me davam garantias para vencer o jogo".

Ausência de Alex Telles e Zé Luís

"Olho para um jogo de cada vez, foram opções que tomei para este jogo".

Pressão para vencer

"O mais importante era darmos uma boa resposta, ganharmos o jogo. Aceito e percebo a pressão que existe num grande clube, sempre trabalhei em grandes clubes, mas por vezes tudo o que existe à volta, o que se cria, não é bom para ninguém. Não estou a falar das pessoas que vêm ao estádio, que nos apoiam e também criticam quando têm de criticar. Mas temos de perceber que ao 12.º jogo só perdemos uma vez, claro que queremos ganhar 12 em 12, mas o que realço é a forma como trabalhamos todos os dias para orgulhar a camisola que vestimos e disso os adeptos podem estar descansados".

Análise

"Cabia-nos a nós defrontarmos o líder do campeonato, fazer um bom jogo, e isso passaria por estudar bem o adversário, não é por acaso que estava na frente ao fim da sétima jornada. Tínhamos de perceber como joga o Famalicão, uma equipa muito bem trabalhada, com uma primeira fase de construção a ter um peso grande. O nosso processo defensivo, um ou outro pormenor foi fundamental para ganharmos. Foi importante colocar o que era a nossa forma de pressionar. O Famalicão mete cinco ou seis jogadores na primeira fase de construção, para sair com sucesso e depois explorar outras zonas do campo onde podia criar problemas. Foi o trabalho coletivo que veio ao de cima, aliando o nosso bom jogo com bola ao processo defensivo".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.