Na antevisão do encontro com o Marítimo, agendado para este domingo (18 horas), Sérgio Conceição perspetivou "um jogo competitivo, difícil, contra uma equipa que tem estado e tem cimentado a posição na I Liga".

"Tem jogadores interessantes, um treinador muito apaixonado pelo que faz e que tem feito bons trabalhos nas equipas que tem representado em Portugal. Dentro daquilo que são os jogos do campeonato português, sempre com essa particularidade de jogar na Madeira, onde temos encontrado um relvado que não é fácil, e que teve a nota mais baixa dada pela Liga, isso vai ser outro adversário. Podem acontecer maus jogos em bons relvados, mas grandes jogos em maus relvados duvido mais", começou por dizer o treinador portista.

Wendell chegou esta semana ao FC Porto para ocupar o corredor esquerdo da defesa, um pedido do próprio treinador para que a equipa seja mais competitiva.

"Eu não reclamei de nada. Isto não é o Futebol Clube Sérgio Conceição, é o Futebol Clube do Porto. Aquilo que posso pedir é o ajuste do nosso plantel. Não vêm para jogar no meu quintal, vêm para jogar no clube. O jogador é jogador do FC Porto e eu queria contar com jogadores do nível de seleções, mas temos a nossa realidade dentro daquilo que eram as duas ou três opções que tínhamos. Este jogador, por sinal, já tinha sido falado e discutido há mais de um mês", referiu, para depois explicar o que aconteceu em Famalicão no fim de semana passado.

"O que se passou em Famalicão foi a frustração de sofrer o empate depois de termos feito o suficiente para não sofrermos golos. Aconteceu o de bola parada e depois o outro já para lá dos 90 minutos. É um erro individual mas que eu também cometo, fazem parte da nossa vida e do nosso trabalho. Há que assumi-los, corrigi-los e trabalhá-los. Acredito que quem está a comentar o jogo seja muito mais fácil, mas eu vivo as emoções fortes e ganhar mais vezes é um sentimento muito melhor. Isto não justifica a imagem que houve entre mim e o Luís Gonçalves, o que dizem e o que escrevem é a maior mentira que pode haver, quem me conhece e anda aqui connosco sabe a relação que temos, que é fantástica. Tentamos fazer todos os dias mais e melhor pelo clube", disse.

Sérgio Conceição conta com dois títulos de campeão nacional em quatro anos à frente do comando do FC Porto. Ao treinador do FC Porto foi-lhe perguntado se acha que este ano a conquista do título será mais difícil.

"É pergunta com rasteira? Há quem diga que ainda devo um campeonato ao FC Porto. Todos os campeonatos são difíceis, não há mais ou menos difíceis. Nestes quatro anos o FC Porto venceu o campeonato duas vezes e foi vice-campeão nos outros dois anos com mais de 80 pontos – já houve campeões com menos pontos. Nas outras competições fomos sempre competitivos, vencemos uma Taça de Portugal e uma Supertaça, na Liga dos Campeões estivemos duas vezes nos quartos de final e uma nos oitavos – temos sido o porta-estandarte de Portugal na Europa. Se estou satisfeito? Não. Queremos sempre o máximo e chegar à final, mas é difícil. Não temos capacidade financeira para ombrear com outros clubes, mas podemos trabalhar e dar o máximo. Em Portugal queria claramente ganhar quatro campeonatos, quatro Taças de Portugal e quatro Supertaças. Mas os rivais também fizeram boas épocas e ganharam. Este ano vai ter a dificuldade que alerto sempre aos jogadores frente a qualquer adversário: tudo depende de nós, do que fizermos em campo. Não ficamos a dever nada aos nossos adversários".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.