O Sporting venceu, este domingo, o Estoril por 2-1, em partida da quarta jornada da I Liga.

Os leões vinham moralizados depois de duas exibições de luxo em jeito de goleada: Primeiro em Guimarães e depois na Roménia frente ao Steaua que valeu o passaporte para a fase de grupos da Liga do Campeões. Com o empate do Benfica, urgia a necessidade do Sporting somar mais três pontos e fugir dos encarnados.

Depois de uma parceria com Doumbia no jogo em Bucareste, Bruno Fernandes recuou no terreno, fazendo de Adrien, perante a ausência do capitão. De regresso, Alan Ruiz voltou a fazer parceria com Bas Dost.

O carrocel leonino começou em jeito madrugador. Com a intensidade frenética dos alas do Sporting, com Gelson de um lado e Acuña do outro. Foram os extremos do Sporting que logo aos quatro minutos construíram o golo dos donos da casa. Cruzamento rasteiro rasteiro do argentino, para a emenda vitoriosa do extremo.

Apenas sete volvidos, Bruno Fernandes viu revelada uma vez mais a apetência para marcar golos de levantar o estádio. Livre irrepreensível a fazer sobrevoar a bola sobre a barreira e a bater Moreira.

A pressão leonina avolumava-se e encostava o Estoril às cordas. É que este Sporting é especialista em fazer 'mata-leão' aos adversários. Os leões até ao intervalo podiam ter dilatado a vantagem. Primeiro num remate às malhas laterais de Coates (34m), depois em cima do intervalo com uma cabeceamento de Gelson por cima da trave.

O Estoril bastante encolhido até aí, conseguiu soltar-se a partir da meia hora e podia ter reduzido ainda antes do descanso. Kléber cabeceou junto ao segundo poste e Monteiro não conseguiu a emenda vitoriosa.

No segundo tempo, a equipa de Pedro Emanuel entrou mais afoita e com a intenção de travar a dinâmica do leão. Como seria esperar o ritmo de jogo caiu na segunda parte, com os leões a permitiram à equipa da linha uma troca de bola com bastante à vontade. O jogo ficou aberto e somaram-se as oportunidades de golo.

Primeiro Battaglia num cabeceamento por cima (76m), mais tarde foi Acuña que numa grande jogada (84), só foi travado por Joel.

O Estoril não desistia e chegou mesmo ao golo num pontapé fantástico de Lucas Evangelista, que não deu hipóteses a Rui Patrício (85).

A partida partiu a meio e o resultado deixou de estar fechado. O Estoril a jogar olhos nos olhos e sem medo de sofrer permitiu mais ocasiões para à equipa de Jorge Jesus. Bas Dost teve o golo nos pés, mas permtiu a intervenção de Moreira.

Video-árbitro evitou polémica e luta até ao fim pelo resultado

O final de jogo foi dramático com dois golos a serem anulados a cada uma das equipas perto do fim. Em duas decisões acertadas, aparentemente, do video-árbitro.Primeiro Bas Dost marcou, mas o lance foi anulado. Já ao cair do pano, Pedro Monteiro colocou a bola no fundo da baliza num pontapé cruzado. Os jogadores do Estoril começaram a festejar, contudo, uma vez mais o lance acabou por ser invalidado por fora de jogo.

Vitória dramática para os leões que acabaram por conquistar os três pontos contra o Estoril de Pedro Emanuel, que vendeu cara a derrota.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.