O Sporting de Braga emitiu esta quarta-feira um comunicado no qual anuncia a saída de Custódio Castro do comando técnico da equipa. Além disso, na mesma nota, assinada pelo presidente António Salvador, ficaram ainda várias críticas à arbitragem e um pedido de demissão a Fontelas Gomes, presidente do Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

"Quando o SC Braga impôs aos seus dirigentes, treinadores e jogadores um pacto de silêncio sobre a arbitragem, estendendo convite aos demais Clubes e entidades nacionais, fê-lo por considerar importante que se esclarecesse se a ausência de ruído em torno do sector resultaria em melhores arbitragens e, por consequência, em resultados mais justos e em classificações mais condizentes com o valor desportivo demonstrado pelas equipas", começou por escrever.

"A teoria de que o erro é potenciado pelo alvoroço que se cria em torno dos árbitros seria facilmente analisável ao longo destas jornadas e ainda mais no tempo que vivemos, sem qualquer pressão adicional das bancadas e com ferramentas tecnológicas que tornam as falhas inaceitáveis. Ou seja, se num contexto quase laboratorial os erros persistem, então a conclusão a retirar só pode ser uma: o quadro de árbitros é fraco e o Conselho de Arbitragem é conivente com esta falência, permitindo que de forma reiterada se adulterem resultados e classificações", atirou o presidente dos arsenalistas.

Depois disto, António Salvador esclarece que o Sporting de Braga considera que "o sector da arbitragem vive uma crise de competência profunda e é dever do Clube denunciar a persistência do erro e exigir mudanças imediatas, não sendo entendível que numa fase de renovação dos seus órgãos a Federação Portuguesa de Futebol mantenha intacta uma gestão que se tem revelado um fracasso a todos os níveis, reforçando a aposta em Fontelas Gomes e na sua equipa. Com sentido de responsabilidade e de contributo para a estabilidade do sector, o SC Braga sempre teve uma postura de apoio para com o Conselho de Arbitragem, mas perante o atual contexto e o absoluto descrédito deste órgão e da sua presidência, resta anunciar a retirada de confiança a José Fontelas Gomes."

Os ‘arsenalistas' queixam-se de ser "a equipa mais prejudicada" do campeonato" e consideram que o Sporting, terceiro classificado e "clube que compete diretamente com o Sporting de Braga por um lugar na tabela", é o "mais beneficiado".

Do jogo com os vila-condenses, António Salvador considera ser "de bradar a não expulsão de Aderlan Santos, aos 60 minutos (inclusive após Nuno Almeida ser alertado pelo VAR), mas também o penálti e a expulsão de Rolando, já em descontos, por intervenção faltosa que não se descortina", pode ler-se.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.