“No meu
íntimo, acredito que sim, que vai aguentar até ao final do campeonato a
lutar pelo título, até porque a equipa já passou por momentos menos
bons, como os dois empates seguidos (Leixões e Naval) e depois foi
ganhar a Paços de Ferreira”, notou Artur Jorge à agência Lusa.

Para
o antigo jogador e “capitão” dos “arsenalistas” - das camadas jovens
aos seniores representou o Sporting de Braga durante 20 anos -, o
actual momento da equipa é motivo de “orgulho” e “reflexo do
crescimento e da regularidade dos últimos anos”.

Artur Jorge
salientou que a equipa, apesar das limitações, está a “lutar de igual
para igual com outras mais poderosas em meios e em termos de plantel”.

Para
o ex-defesa central, a equipa orientada por Domingos Paciência pode
“lutar até ao fim pelo título, mas na pior das hipóteses, e até como
prémio pelo que tem feito até aqui, julgo que pode atingir um lugar que
dê acesso à Liga dos Campeões”.

O Sporting de Braga tem 33 pontos
(os mesmos que o Benfica, mas com vantagem no confronto directo sobre
os “encarnados” - 2-0 em casa) e está a uma jornada de “sagrar-se”
“campeão de Inverno”, outro facto inédito em quase 90 anos de história.

António Duarte, antigo dirigente do clube na área do futebol,
tem dois discursos, um ditado pela emoção, que diz que o Sporting de
Braga pode lutar pelo título, outro limitado pela razão, que manda “ter
os pés bem assentes no chão” e gerir o clube numa perspectiva de futuro.

Em
declarações à Lusa, exemplificou a ambivalência com a recente
transferência de João Pereira para o Sporting: “Como adepto, quero os
melhores jogadores, mas por outro lado sei que se administração o
vendeu é porque, tudo pesado, tinha mesmo de vender”.

“Só porque se vai em primeiro lugar, não se deve hipotecar o futuro do clube”, resumiu.

Segundo
António Duarte, porém, “cada vez mais o futebol é o momento” e, por
isso, “há que viver este momento do Sporting de Braga, que é óptimo,
com entusiasmo e até alguma euforia”.

O antigo responsável do
futebol bracarense frisou que a equipa lidera o campeonato “por mérito
próprio” e considera-a “a mais equilibrada e organizada, a que lê
melhor o jogo e assume na perfeição os seus ‘timings’”.

António Duarte quer “muito” que o Braga se sagre campeão, mas, pela sua “experiência”, antecipa muitas dificuldades.

“A
segunda volta vai ser muito difícil porque os ‘três grandes’ vão
reforçar-se e as equipas já jogam de maneira diferente com o Braga”,
mas, por outro lado, o facto de já não estar nas competições europeias,
ao contrário dos principais competidores, “pode facilitar” a carreira
no campeonato.

De acordo com o ex-dirigente, tudo terá se ser
analisado “jogo a jogo”, sendo que “se não conseguir”, o Braga “vai
vender muito caro”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.