No regresso do técnico Manuel Fernandes a Leiria, o Setúbal surpreendeu e chegou ao 0-2 e ao 1-3 ainda na primeira parte. Mas a reacção da União de Leiria, aliada à expulsão de Hélder Barbosa (64 minutos), garantiu o empate, um prémio de consolação para a equipa que, em caso de vitória, retiraria o quarto lugar ao Sporting.

O empate de hoje confirma as dificuldades que a União de Leiria tem sentido sempre que recebe o Vitória de Setúbal, a quem não vence em casa desde 1994.

Recebido em Leiria com um misto de aplausos e assobios, o actual técnico do Vitória e antigo dos leirienses montou a sua equipa de forma surpreendentemente ambiciosa e desinibida: apesar de aflito, entrou desde início a pensar na vitória.

O Vitória tão depressa defendia em 5-2-3 como atacava em 3-4-3 e essa versatilidade permitiu ao Setúbal tomar conta da partida desde cedo e adiantar-se no marcador logo aos 9 minutos. Hélder Barbosa marcou um canto na esquerda, toda a defesa leiriense falhou e Collin desviou para o 1-0.

Atordoada com a entrada dos sadinos, a União de Leiria procurou reagir. Aos 16 minutos, a defesa do Vitória tirou a bola de cima da linha de golo depois de um lance confuso e, aos 19, foi Silas a tentar surpreender Mário Felgueiras com um remate de longe.

Mas quem voltou a fazer mexer o marcador foi o Setúbal, por Kaz, que fez o 0-2, aos 31 minutos, com um toque acrobático após cruzamento de Bruno Ribeiro, aproveitando a desconcentração de toda a defesa da casa.

O segundo golo do Setúbal acelerou o jogo e logo de seguida Silas podia ter reduzido, mas em boa situação atirou ao lado.

A pressão dos leirienses aumentou e, aos 36 minutos, Cássio reduziu para 1-2, com um cabeceamento certeiro que revelou as debilidades defensivas dos sadinos.

No ataque, as coisas corriam melhor à equipa de Manuel Fernandes, sobretudo do lado esquerdo, de onde nasceram os dois primeiros golos e também o terceiro: Hélder Barbosa roubou uma bola a Pateiro e cruzou para Henrique fazer o 1-3.
Frenético, o jogo ainda deu outro golo antes do intervalo. A pressão forte da União de Leiria permitiu a Cássio reduzir para 2-3 sobre os 45 minutos, aproveitando mais uma confusão na área contrária.

Bem diferente foi o segundo tempo, com a União de Leiria quase sempre a rondar a baliza do Setúbal, que recuou muito para segurar a vantagem.

Só que a falta de pressão à frente desequilibrou o jogo a favor da equipa da casa. E tudo se complicou ainda mais para os sadinos após os 64 minutos, quando Hélder Barbosa - que tinha destroçado a defesa do Leiria na primeira parte - foi expulso por rematar com o jogo interrompido.

Num livre de Ronny, aos 68 minutos, a União de Leiria chegou ao empate, num lance com culpas para Mário Felgueiras que deixou a bola entrar num lance aparentemente inofensivo.

Mas as forças da União de Leiria não deram para mais. O Setúbal recuou quase completamente e Lito Vidigal tentou refrescar o ataque, hoje entregue apenas a Cássio devido à exibição discreta de Carlão. Mas, apesar da aflição dos sadinos no final, o 3-3 foi o resultado final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.