“Sabemos que o Benfica vem forte e motivado e com vontade de chegar mais depressa ao título, mas nós também estamos com vontade de atingir o objectivo manutenção. Agora joga-se sempre com ansiedade de se atingir qualquer coisa e as duas equipas vão entrar em campo com esse sentimento. O Benfica é um adversário difícil, talvez o mais difícil, mas nós também temos as nossas armas", destacou o técnico.

O jovem técnico apelou à organização, à concentração e à agressividade dos seus atletas, dado que, segundo ele, "o jogo é muito emocional, embora pareça que o aspecto táctico divirta mais o futebol português, mas durante a semana o grupo de trabalho debateu o factor concentração que tem levado a equipa a sofrer muitos golos nos últimos minutos das partidas".

Villas-Boas disse que "é preciso tratar a Académica com respeito", sublinhando que os objectivos dos ‘estudantes’ são tão importantes como os do Benfica, líder do campeonato, com 67 pontos, contra 26 da ‘Briosa’ (12.º).

O treinador está ciente de que o Estádio Cidade de Coimbra vai ser ‘invadido’ por adeptos do Benfica, que vai jogar como se estivesse em ‘casa’, factor que não o atemoriza, mas que, reconhece, poderá trazer vantagens ao adversário.

“Vamos permitir que o adversário invada o campo, mas também têm mais seguidores... Volto a referir que a Académica é tão importante quanto o Benfica. Nas emoções que vêm do público, o Benfica levará vantagem", admitiu o técnico.

Villas-Boas elogiou o estilo de futebol do Benfica, quando questionado se os ‘encarnados’ seriam ou não uns justos vencedores do campeonato nacional.

"Não me compete comentar, mas sou um fã daquele tipo de futebol, dominador, agressivo e de ataque. Jogam de forma apreciável, marcam um número inacreditável de golos, jogam sempre para ganhar, fortes em todos os sentidos. Sou fã desse estilo de jogo, mas, como já disse, a única coisa que me interessa é perseguir os objectivos da Académica”, disse o técnico, admitindo que “um empate não é mau resultado, mas depende sempre do que se passar no Braga com o Leixões".

Villas-Boas, cujo nome já foi apontado ao Sporting e ao FC Porto, disse estar concentrado em conseguir a manutenção para a Académica, com quem tem contrato até 2011, mas admite que o seu futuro possa passar por outro clube: "Se as minhas competências forem suficientes para outros voos, só poderei analisá-los quando chegar alguma proposta".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.