Não se penitencie se precisar de uns minutos para recuperar deste Vitória de Guimarães-Sporting. Foram cinco golos, uma cambalhota no marcador e um duelo emocionante que terminou com o líder do campeonato a escorregar no D. Afonso Henriques.

Os leões até marcaram primeiro, só que a equipa da casa respondeu de imediato por Tiago Silva, na marcação de uma grande penalidade, e foi mais eficaz na segunda parte graças aos golos de André Silva e Dani Silva. O Sporting, que ainda fez o 2-2, tentou reagir na reta final, quase sempre com mais coração do que cabeça, mas o Vitória conseguiu segurar a vantagem.

O conjunto de Rúben Amorim desperdiça a hipótese de fugir ao Benfica e pode ser apanhado na frente pelo FC Porto. Já o Vitória, que não ganhava ao Sporting há cinco anos, está agora a seis pontos da liderança.

Veja o resumo

Com alguma surpresa, Geny Catamo foi aposta de Rúben Amorim na ala esquerda, relegando Nuno Santos para o banco, enquanto Matheus Reis rendeu Coates (castigado) no eixo da defesa. No lado do Vitória, apenas uma mudança, com Tiago Silva a render Dani Silva.

A equipa da casa procurou, desde cedo, injetar velocidade no jogo. Aos quatro minutos, Handel deixou Jota em boa posição para finalizar, mas o remate saiu à figura de Adán. Na resposta, Pedro Gonçalves rompeu pela esquerda, puxou para o meio e rematou cruzado com Bruno Varela a defender com a ponta da luva (8’).

A intensidade nos duelos manteve-se ao longo da partida, mas as ocasiões de golo tardavam em aparecer – a forte chuva que caía em Guimarães também não deu tréguas.

E, de repente, tudo mudou. Aos 41’ Pedro Gonçalves picou a bola para a área, Maga e Bruno Varela não se entenderam e Morita aproveitou para tirar o guarda-redes do lance. A bola sobrou para Gonçalo Inácio, que só teve de encostar. No Vitória reclamava-se uma eventual falta de Morita sobre Maga, mas o VAR confirmou o golo leonino.

Veja o golo de Gonçalo Inácio

Logo a seguir, Marcus Edwards lançou Pedro Gonçalves para o 2-0, mas o chapéu a Varela não contou (seria um golaço) por fora de jogo de Pote.

Parecia que o Sporting ia recolher ao balneário em vantagem, no entanto, uma queda de Ricardo Mangas na área, após saída de Adán da baliza, levou João Pinheiro a marcar penálti para o Vitória. O guardião leonino ainda adivinhou o lado, mas não conseguiu suster o remate de Tiago Silva.

Veja o penálti marcado por Tiago Silva

Já com Nuno Santos em campo (por troca com Esgaio), o Sporting não ganhou para o susto quando Ricardo Mangas ficou com a bola em boa posição na área; o disparo, no entanto, saiu por cima.

A partir daí, os leões foram criando mais perigo, ainda que com alguma atrapalhação por parte de Gyokeres, que em mais do que uma ocasião acertou mal na bola, enquanto Trincão, recém-entrado, viu Varela negar-lhe o golo com uma grande defesa.

Só que o Vitória aproveitou a subida dos leões para fazer estragos e aos 73 minutos conseguiu mesmo a reviravolta. Adán defendeu um primeiro remate de Jota Silva, mas André Silva ficou com a bola, rematou de fora da área, e beneficiou de um desvio de Morita para bater o guarda-redes espanhol.

André Silva faz o 2-1

A vantagem minhota não durou muito tempo. Aos 77' Pedro Gonçalves descobriu Nuno Santos solto e este, de pé esquerdo, bateu Bruno Varela. E apenas três minutos depois, o Vitória voltou a colocar-se na frente numa jogada fantástica de Dani Silva: tabelou com Mangas e depois, já com pouco ângulo, rematou para o 3-2.

Seguiram-se minutos eletrizantes no D. Afonso Henriques, face à incerteza do resultado, com jogadores e adeptos das duas equipas a pegarem-se já nos descontos. O Sporting fez de tudo para evitar a derrota – pelo meio Butzke ainda falhou na cara de Adán – mas o marcador não voltou a mexer.

O golo de Nuno Santos

O golo de Dani Silva

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.