O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, concedeu uma entrevista ao jornal O Jogo e recordou o triunfo por 2-1 na Luz, aproveitando também para reforçar as críticas à arbitragem do jogo com o Arouca, que os 'dragões' perderam pelo mesmo resultado.

"Foi a resposta a quem dava o FC Porto como morto e a quem quis matar o FC Porto", disse o líder do clube 'azul-e-branco' aludindo ao triunfo na Luz.

"Refiro-me ao jogo em que um árbitro do Porto teve um auxiliar – que nos anulou um golo limpo com o qual hoje estaríamos em igualdade de pontos com o Benfica – vindo de Coimbra, não se sabe porquê ou por alma de quem. E que nos tirou três pontos num jogo, alterando a verdade da competição e até a postura para este jogo, porque não podíamos perder de maneira nenhuma", salientou de seguida.

"Tínhamos de ganhar e jogámos para isso. Fizemos uma exibição convincente e que só se estivesse algum auxiliar de Coimbra é que, se calhar, não teríamos ganho. Talvez descobrisse algum fora de jogo nos nossos golos", atirou ainda.

Pinto da Costa elogiou ainda a aposta de José Peseiro no jovem Chidozie.

"Para o José Peseiro não foi uma resposta, porque toda a gente viu que não foi pela exibição que nós perdemos com o Arouca, mas pela equipa de arbitragem. A equipa fez uma primeira parte excelente e o facto de ter perdido da forma como perdeu não alterou a mentalidade. Na Luz, a equipa mostrou que está diferente e o treinador mostrou coragem ao lançar um jovem da equipa B [Chidozie] que nunca tinha jogado no campeonato e cuja exibição deu razão ao treinador", salientou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.