A equipa de Aveiro acabou por beneficiar da eficácia dos seus jogadores e da falta de sorte do adversário, que levou por três vezes a bola ao poste, e assim pode regressar aos lugares de despromoção.

E foi a equipa do Penafiel que entrou melhor na partida, quando à passagem pelo minuto 14 esteve muito perto de inaugurar o marcador.
Michel, solicitado por um cruzamento de Vieirinha, acerta no poste da baliza defendida por Bruno Conceição e cria a primeira ocasião de perigo para os homens da casa.

O perigo regressou à baliza da turma aveirense já perto do intervalo, quando Pedro Moreira (36) corta, em cima da linha de golo, um remate de Rafa.

Dois minutos volvidos os elementos do Beira-Mar reclamaram jogo perigoso de Vagner Eugénio sobre Fangeiro dentro da área penafidelense, mas Olegário Benquerença nada assinalou.

E se o melhor que a equipa de Leonardo Jardim conseguiu fazer na primeira metade do encontro foi um remate de Djamal ao lado da baliza de William, para a segunda parte os aveirenses cedo começaram a justificar a boa época na Liga de Honra.

Rui Varela, aos 49 minutos, proporciona uma excelente defesa a William e, quatro minutos depois, Rui Sampaio inaugura o marcador na sequência de um ressalto que tinha levado a bola à trave da baliza do Penafiel.

Na resposta, os homens da casa bem podem queixar-se da falta de sorte, desde logo, porque Hugo Soares (72) encontra no poste a resposta ao seu remate e, no ataque seguinte, Rafa (78) imita o seu colega de equipa.

Apesar do Penafiel ter sido a equipa que, nesta altura do jogo, mais procurava o golo, foi o Beira-Mar que acabou por dilatar a vantagem, quando, aos 78 minutos, Artur aproveitou um desentendimento entre o guarda-redes William e o central Vagner Eugénio para fixar o resultado final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.