O presidente do Casa Pia, Victor Seabra Franco, reage com “cautela” à decisão da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), que hoje impediu o Desportivo das Aves e o Vitória de Setúbal de se inscrever nas competições profissionais e convidou os casapianos a permanecerem na II Liga.

Em declarações à agência Lusa, o presidente dos lisboetas diz que o clube está a analisar a situação, que considera ser “pouco clara” em termos jurídicos.

“Em primeiro lugar é uma decisão passível de recurso e por isso estamos em conversações com os advogados. O conselho que nos dão é que devemos estar calmos, ser frios e não reagir a quente. A situação não é definitiva e não está clara em termos jurídicos”, considera Victor Seabra Franco, que por isso avisa que “cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém”.

Recorde-se que esta é uma situação distinta da que levou o Casa Pia a apresentar uma providência cautelar para suspender a decisão da Liga em despromover os ‘gansos’ ao Campeonato de Portugal, e a que o Tribunal Central Administrativo do Sul deu provimento.

O tribunal deu parecer favorável ao requerimento apresentado pelo Casa Pia tendo em vista suspender a decisão da Liga em despromover o clube ao Campeonato de Portugal, pelo que, enquanto não houver uma decisão do TAD, o clube, que há poucos dias completou 100 anos, está habilitado a inscrever-se na II Liga.

Isso mesmo é frisado pelo presidente dos casapianos, que ainda assim admite que toda esta situação, a que agora se junta a impossibilidade de Vitória de Setúbal e Desportivo das Aves se inscrever nas competições profissionais, configura “uma enorme confusão”.

“O Casa Pia juridicamente está na II Liga, na sequência de uma decisão do Tribunal Central Administrativo do Sul, embora seja uma decisão provisória e falte a decisão do TAD. Neste momento temos que esclarecer os aspetos jurídicos desta nova decisão da LPFP, e ver em que termos se vai proceder. A situação não é nada clara, em nossa opinião. É uma confusão enorme, mas confiamos que os tribunais cumprirão o seu papel”, termina Victor Seabra Franco.

O Desportivo das Aves e o Vitória de Setúbal foram hoje impedidos de se inscrever nas competições profissionais, depois de a Comissão de Auditoria da Liga Portuguesa de Futebol Profissional ter reprovado os processos de licenciamento.

Em comunicado, a LPFP refere que os dois clubes não cumpriram os requisitos para se inscreverem nas provas profissionais.

O Desportivo das Aves tinha sido despromovido à II Liga, depois de ter terminado a I Liga na 18.ª e última posição, enquanto o Vitória de Setúbal tinha assegurado a permanência, ao ser 16.º.

Assim, a Liga de clubes convidou o Portimonense, que tinha sido 17.º posicionado e despromovido, a manter-se na I Liga e o Cova da Piedade e o Casa Pia a manterem-se na II Liga, depois de terem sido despromovidos administrativamente, com o cancelamento do segundo escalão, devido à covid-19.

A decisão é passível de recurso para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.