O Nacional da Madeira tornou-se esta segunda-feira no primeiro clube em Portugal a regressar aos treinos, m mês após a suspensão das provas profissionais por parte da Liga devido à pandemia da covid-19.

A decisão de realizar os treinos no Estádio da Madeira foi avançada pelo clube nas suas redes sociais no passado sábado, tendo como objetivo salvaguardar a integridade física e a estabilidade emocional dos seus profissionais, que na esmagadora maioria dos casos não tem nos seus apartamentos condições para poder realizar os exercícios pretendidos, tendo de fazer corrida na rua.

Esta medida, afirma a formação madeirense, irá proporcionar aos jogadores a oportunidade de realizarem o seu treino num ambiente controlado e deixando assim de estar expostos ao elevado risco de contágio motivado pelo treino/corrida na via pública», pode ler-se numa nota publicada no site.

De acordo com o clube insular, que por altura da interrupção das competições ocupava o primeiro lugar da II Liga, os treinos serão individualizados, com o plantel dividido em dois grupos, que trabalharão em dias diferentes.

Nesta primeira fase, está a ser efetuado o controlo da temperatura corporal à saída dos atletas de casa e mantida informação sobre o estado de saúde das pessoas com quem partilhem a habitação, sendo à chegada ao estádio avaliados numa sala preparada para o efeito.

Os materiais utilizados nas instalações e nos seus acessos serão limpos e desinfetados após cada utilização.

O Nacional ocupa o primeiro lugar da II Liga, com 50 pontos, mais dois do que o Farense, segundo classificado, numa altura em que a prova se encontra suspensa, devido à pandemia da covid-19, após 24 jornadas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 112 mil mortos e infetou mais de 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, quase 375 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito no domingo pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 504 mortos, mais 34 do que no sábado (+7,2%), e 16.585 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 598 (+3,7%).

Dos infetados, 1.177 estão internados, 228 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 277 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril.

*notícia atualizada às 12h01

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.